4 eventos ao vivo

Ritmo do Olodum contagia última noite do festival

1 fev 2009
12h00

O Olodum abriu a última noite de shows do Festival de Verão de Salvador. A banda tocou por uma hora e meia e reuniu em seu repertório de reggae-samba uma combinação de musica e coreografia. A trama dos tambores, uma espécie de malabarismo de circo, mais uma vez chamou a atenção da platéia diante do que muitos chamam de "a magia das baquetas".

» Alanis Morissette faz show para 60 mil em Salvador
» Famosos curtem último dia do Festival de Verão

"Muito bom, estou gostando muito. Tem tudo a ver com a cara de Salvador. É um som que cai bem por causa do batuque e o que eles fazem no palco é realmente impressionante. O Olodum representa bem a música baiana", afirmou a administradora de empresas Raquel Passarelli.

A banda trouxe em seu repertório canções que marcaram a época e que fazem parte da comemoração dos 30 anos do grupo. Os vocalistas Lucas de Fiori, Nadjane Souza e Germano Meneghel se revezaram no palco e colocaram a platéia para dançar. "É isso aí Salvador, é isso aí Bahia. Vamos agitar as mãos pra essa noite ficar ainda mais bonita", disse o cantor Lucas de Fiori.

Quem estava na pista tirou o pé do chão. "Essa é a primeira banda de reggae-samba do Brasil que se destacou em todo o País e conquistou o respeito no mundo. O Olodum é isso. Uma mistura de dois grandes sons que deixam a música muito especial", disse o representante comercial Fabrício Andrade.

O Olodum contou ainda com dois convidados especiais. o ex-vocalista Jaú Peri e Neguinho do Samba. Um encontro para marcar o início das comemorações dos 30 anos da banda, que nasceu no Pelourinho e até hoje ainda mantém as raízes com músicas que retratam o tradicional bairro de Salvador. "Aqui tudo mudou, são 15 anos que brilhou, Olodum filhos do Sol, Reluz e seduz o meu amor", cantou Germano Meneghel.

A banda prepara nesse ano uma série de comemorações para celebrar as três décadas de formação com uma turnê mundial. "A gente tem as turnês agendadas. Temos Europa, Japão, Austrália e Venezuela. Temos que ir a África. Vamos rodar o mundo com os 30 anos de Olodum. Vão ser 3 anos de shows", disse Lucas di Fiori. Entre as surpresas, vem aí o novo DVD da banda. "Entre os dias 25 e 26 de abril gravamos o nosso DVD, que deve ser no Pelourinho. Haverá um convidado internacional, talvez seja o Paul Simon", finalizou Lucas.

Ritmo e coreografias do grupo baiano roubou a cena na abertura do festival
Ritmo e coreografias do grupo baiano roubou a cena na abertura do festival
Foto: Antônio Reis / Especial para Terra
Fonte: Especial para Terra
publicidade