3 eventos ao vivo

"Toco como se não fosse guitarrista", diz Siba no Terra Live Music

1 out 2013
17h35
atualizado em 3/10/2013 às 19h19
  • separator
  • comentários

Figura já conhecida de quem acompanha o Terra Live Music Especial Natura Musical , no qual esteve no ano passado, o músico Siba voltou aos estúdios do Terra como atração da primeira das quatro edições especiais de outubro do programa, nesta terça-feira (1º). E, em meio à execução das canções de seu primeiro disco solo, Avante , ele recordou os bons momentos que passou como integrante do grupo Mestre Ambrósio, falou de suas incursões em diferentes estilos e ressaltou como hoje não se vê como um especialista em seu instrumento devido aos anos dedicados à rabeca.

Veja íntegra do Terra Live Music - Natura Musical com Siba

"Como abandonei a guitarra por um tempo, eu toco mais ou menos como se não fosse guitarrista. Então acabo me sentindo um estranho na guitarra", afirmou Siba em entrevista à apresentadora Lorena Calábria, na qual citou Jimi Hendrix, Fernando Catatau e o (o congolês) François Luambo Makiadi, conhecido como Franco, como suas maiores influências nas seis cordas. "Mas, como músico, procuro buscar ideias em outros instrumentos, porque senão parece que a coisa não vai para lugar nenhum", enfatizou.

Ariana, por Siba

Nascido Sérgio Roberto Veloso de Oliveira, Siba tem uma longa carreira na música. Em 1992 iniciou-se profissionalmente no grupo Mestre Ambrósio, com quem lançou três discos de estúdio - além de gravações especiais, como para Baião de Viramundo - Tributo a Luiz Gonzaga. Músico com gosto por se reinventar, seis anos depois largou tudo para se dedicar ao projeto Fuloresta, que teve lançados dois trabalhos completos, além de um EP, Canoa Furada (2009). Ainda participou de outros trabalhos até chegar a Avante (2012), seu primeiro álbum solo, repleto de influências regionais, como sempre foi tão próprio de sua carreira, com destaque especial para a percussão.

"Quando o show começou a ficar mais maduro, comecei a sentir falta daquela fluidez da percussão e chegou uma hora que ficou critico. E aí, quando foi esse momento, chamei o Nico, que é meu parceiro de maracatu de velha data, anteriormente também já parte do "pré-protótipo do Avante. (A percussão) é meu sangue, lá de Pernambuco", disse ele, que, para promover o novo trabalho, neste mês volta à Europa, continente no qual se acostumou a fazer shows com Mestre Ambrósio.

"O disco acabou de sair na Inglaterra, ontem (segunda-feira, 30). Então vamos pra lá e para a França para dois shows e, no ano que vem, faremos uma turnê mesmo por lá", afirmou em meio à execução de canções como Bagaceira, A Brisa e Canoa Furada . "Agora, aqui no Brasil, para onde nos chamarem para tocar a gente vai. Mesmo se for lá esquina, a gente vai de qualquer jeito", resumiu.

Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade