3 eventos ao vivo

"Voltamos porque curtimos muito", diz New Order antes do UMF

23 nov 2011
11h21
atualizado em 24/11/2011 às 13h53
Rafael Machtura

Irritado por ficar de fora, o antigo baixista Peter Hook alegou que a reunião do New Order neste ano, para angariar fundos para o tratamento do câncer do cineasta Michael Shamberg, era tudo mentira. Segundo ele, o que queriam era ganhar dinheiro. Mas para o quinteto inglês, a volta parece ser menos comercial e mais espiritual. "Eu acho que voltamos porque nós curtimos muito. Nós tocamos bem e tivemos um bom momento no palco", explicou ao Terra Gillian Gilbert sobre o sucesso dos shows beneficentes em Paris.

Com a empolgação de continuar na estrada, uma das principais bandas do pós-punk e do new wave aceitou o convite de tocar no festival eletrônico UMF Brasil, que acontece no dia 3 de dezembro na Arena Anhembi, em São Paulo; evento que o grupo não estava acostumado a tocar. "Eu acho que vai ser bem diferente porque eu não sei se já tocamos em algo como esse", disse a guitarrista e tecladista.

As novas apresentações marcam a volta de Gillian à banda, que se retirou dos palcos para cuidar da família que construiu ao lado do baterista Stephen Morris. "Tenho duas meninas e a mais nova tem Mielite transversa. Ela precisou de muito cuidado, então eu decidi ficar em casa", contou.

No papo, Gillian ainda comentou sobre a relação do grupo com Hook - "tem uma batalha acontecendo desde a separação e nós temos conversado apenas pelos advogados" -; e sobre o show em São Paulo - "nós iremos tocar canções que não tocamos há anos, então provavelmente será surpreendente".

Confira a entrevista completa abaixo:

Terra - Vocês são umas das principais atrações de um festival de música eletrônica ao lado de DJs como Swedish House Mafia e 2manydjs. Como vocês se veem inseridos em um evento desse tipo?
Gillian Gilbert - Eu não sei na verdade! (risos) Eu acho que vai ser bem diferente porque eu não sei se já tocamos em algo como esse. Eu não posso esperar para ver outros grupos na verdade.

Terra - Como é tocar no Brasil depois de tantos anos?
Gillian Gilbert - Na verdade é bom voltar a tocar com a banda. Da última vez que eu estive aí, só lembro que a plateia me surpreendeu muito com tanta empolgação, então vai ser muito bom voltar.

Terra - E como é estar de volta na banda depois de 10 anos. Por que você voltou?
Gillian Gilbert - Acho porque era o momento certo. Eu sai da banda porque eu tenho duas meninas e a mais nova tem Mielite transversa. Ela precisou de muito cuidado, então eu decidi ficar em casa. Em 2007 eu tive câncer de mama e quando me recuperei me convidaram para voltar com o New Order. Eu pensei 'essa é uma grande oportunidade e eu realmente tenho saudade deles, sinto falta de estar na banda'. Ela é uma grande parte das nossas vidas e quando nós voltamos a ensaiar foi incrível. Se a gente não fizesse isso agora não faríamos nunca mais. E também era uma grande causa porque estávamos ajudando a angariar fundos para ajudar nosso amigo Michael Shamberg, que teve câncer.

Terra - E por que depois desses shows beneficentes em Paris vocês decidiram fazer mais shows?
Gillian Gilbert - Eu acho que voltamos porque nós curtimos muito. Nós tocamos bem e tivemos um bom momento no palco. Então a gente recebeu a oferta de tocar no Brasil e dizemos sim. Nós pensamos em ir a lugares que não vamos há muito tempo e que queríamos voltar. Nós decidimos que enquanto for divertido nós iríamos continuar, porque nós não estamos fazendo muitas coisas, estamos mais seletivos.

Terra - E como suas filhas estão lhe dando com sua volta à banda?
Gillian Gilbert - No começo elas não estavam interessadas, mas agora elas estão 'A mamãe está no YouTube!' e querem tirar férias para ir conosco para a Austrália, para ver os Vombatidaes (Wombats, em inglês). A mais velha tem 16 e a mais nova 12, e ela está bem hoje.

Terra - E como está a sua saúde hoje?
Gillian Gilbert - Estou bem agora, foram quatro anos me recuperando gradualmente e este foi o primeiro ano que me senti realmente bem, porque eu tive muitos problemas. Mas agora eu me sinto muito mais positiva e voltar a banda me fez muito bem.

Terra - Tocando no UMF Brasil vocês se sentem mais uma banda de rock ou de música eletrônica?
Gillian Gilbert - Bem, acho que somos um pouco dos dois. Nós tocamos um monte de instrumentos eletrônicos e agora a gente tem um novo set de aparelhos, no qual estamos dando uma rejuvenescida nas músicas antigas. Vai ser um pouco diferente, mas estamos mantendo o mesmo espirito que antes.

Terra - E o que vocês estão preparando para o repertório?
Gillian Gilbert - O que temos são 30 músicas, mas não sei se vamos tocar mais de 10. Mas há músicas que não tocamos por anos e vai ser bem empolgante. (risos)

Terra - E quão entrosados vocês estão?
Gillian Gilbert - Nós estamos muito bem. Minha irmã disse que essa é a melhor formação do New Order e nós mandamos muito bem em Paris. Então, nós estamos bem empolgados e foi um alívio tocar bem nesses primeiros shows.

Terra - Peter Hook esteve aqui no Brasil recentemente tocando apenas Joy Division. Você acham que devem tocar ou sentem faltam de tocar Joy Division?
Gillian Gilbert - Nós sempre tocamos Joy Division. Só depois, quando eu já não estava mais na banda que eles pararam de tocar porque Stephen disse que não faria mais isso. Mas nós voltamos a fazer isso depois.

Terra - Então vocês vão tocar Joy Division?
Gillian Gilbert - Eu não sei se devo ou não te contar isso! (risos) Mas sim, nós devemos tocar algumas músicas. De toda a nossa história, nós iremos tocar canções que não tocamos há anos, então provavelmente será surpreendente.

Terra - Vocês estão no processo de lançar Lost Sirens, que são lados Bs de Waiting for the Siren's to Call. Isso é trabalho de vocês ou de Peter Hook?
Gillian Gilbert - Oh, sim, as músicas perdidas. Eu não estava envolvida neste álbum, mas eles sempre pensaram em lançar as músicas que sobraram, só estavam esperando a permissão do Peter.

Terra - E foi difícil conseguir essa permissão?
Gillian Gilbert - Está sendo muito difícil neste momento, porque tem muita coisa acontecendo debaixo dos panos sobre os direitos autorais, mas a ideia é lançá-lo.

Terra - E quando vocês pretendem fazer isso?
Gillian Gilbert - Eu acho que está para ser lançado no Natal, mas eu não sei se vai adiado ainda.

Terra - Por que Peter Hook não foi convidado para se juntar a banda?
Gillian Gilbert - Bem, porque ele estava fazendo muitas turnês na época e nós achamos que ele não parecia estar interessado em voltar. Então nós reunimos apenas nós três, bem,nós cinco, com Phill (Cunningham) e Tom (Chapman) no baixo.

Terra - Então vocês chegaram a conversar com ele para ver se ele se interessava em voltar para a banda?
Gillian Gilbert - Não, nós não conversamos com ele há muito tempo. Tem uma batalha acontecendo desde a separação, acho que em 2007, e nós temos conversado apenas pelos advogados. Ele não está feliz e não queria se juntar a nós de qualquer forma.

Terra - E quais são os próximos planos?
Gillian Gilbert - Nós vamos fazer mais festivais, estamos indo para a Austrália. Não estamos pensando em gravar, estamos apenas curtindo isso agora.

Gillian Gilbert, a única mulher do grupo: "Decidimos que enquanto for divertido nós iríamos continuar"
Gillian Gilbert, a única mulher do grupo: "Decidimos que enquanto for divertido nós iríamos continuar"
Foto: Divulgação
Fonte: Terra
publicidade