Música

publicidade
07 de março de 2013 • 10h57 • atualizado às 15h42

Vocalista do Raimundos sobre Chorão: "estou em um pesadelo"

Digão, vocalista do Raimundos, esteve presente 
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Digão, vocalista da banda Raimundos, compareceu ao velório de Alexandre Magno Abrão, o Chorão, do Charlie Brown Jr.,na quadra da Arena Santos, na Baixada Santista, na manhã desta quinta-feira (7). O cantor falou sobre a perda do amigo e mostrou-se muito abalado. "É dificil superar. Parece que estou em um pesadelo e não consigo acordar", disse.

Sobre a personalidade de Chorão, reafirmou o que disseram muitos de seus amigos e familiares. "Era um cara verdadeiro, sem papas na língua. Tivemos parcerias inesquecíveis em shows", opinou.

Digão contou que teve muito momentos bons com o líder do Charlie Brown Jr. "Nós tivemos várias experiências, shows marcantes. Lembrou muito da zona que tocávamos nos camarins após as apresentações. Eu poderia ficar três dias contando".

O velório de Chorão segue nesta quinta, com menos filas do que na noite anterior. Quando o acesso de fãs é permitido na área onde está o caixão, eles procuram puxar músicas da banda Charlie Brown Jr. para homenagear o músico.

Além de Digão, já passaram por lá Di Ferrero, da banda NxZero, o skatista Sandro Dias, o apresentador Marcos Mion, o ator Alexandre Frota e Mano Brown, que chegou  na manhã desta quinta, por volta das 6h. 

Entenda o caso
Alexandre Magno Abrão, o Chorão, vocalista da banda Charlie Brown Jr., foi encontrado morto em casa, no bairro de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, na última quarta-feira (6). Ele tinha 42 anos de idade. O motorista do cantor o encontrou desacordado e telefonou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Chorão quebrava tudo quando se sentia perseguido, diz delegadoClique no link para iniciar o vídeo
Chorão quebrava tudo quando se sentia perseguido, diz delegado

A Polícia Militar recebeu um chamado para averiguação de morte natural na residência do cantor às 5h18. O corpo foi encontrado no local e será examinado pela perícia. Inicialmente, o caso seria investigado pelo 14° DP, mas seguirá com o DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa). As causas da morte ainda são desconhecidas e o laudo sairá em 30 dias.

Segundo o delegado do DHPP Itagiba Franco, Chorão tinha um quadro psicótico de perseguição. "Ele estava com machucados no corpo e encontramos um buraco na parede e o ar condicionado do apartamento quebrado, o que pode indicar socos ou chutes por parte do músico. O apartamento estava em total abandono e isso foi o que mais chocou", afirmou, em entrevista coletiva.

Sônia Abrão, apresentadora e prima de Chorão, não acredita que o cantor tenha cometido suicídio. "Ele prezava muito a família para tirar a própria vida", disse. Enquanto familiares de Chorão aguardavam em uma pequena sala do IML de São Paulo, Ricardo, irmão do cantor, e Graziella, ex-mulher do vocalista, iniciaram uma ríspida discussão, que pôde ser vista e ouvida da área externa do local. Foi possível constatar que Ricardo claramente xingou Graziella de "puta" e, posteriormente, foi para cima dela, com o intuito de lhe dar um empurrão. O contato só não ocorreu porque familiares os separaram e pediram por calma.

Diversas celebridades como Xuxa, Angélica, Serginho Groisman, Luciano Huck e Negra Li lamentaram a morte do cantor. O Santos FC emitiu uma nota oficial de pesar. No próximo jogo, o time entrará de luto no campo e fará um minuto de silêncio.

O enterro do cantor Chorão, que foi encontrado morto na madrugada desta quarta-feira (6), será realizado nesta quinta-feira (7), às 17h.

Terra