inclusão de arquivo javascript

Vida de DJ
 
 

Deadmau5 cria polêmica em conferência em São Francisco

03 de dezembro de 2012 07h24

O artista sempre se apresenta fantasiado com uma cabeça de rato gigante. Foto: Danny Mahoney/Divulgação

O artista sempre se apresenta fantasiado com uma cabeça de rato gigante
Foto: Danny Mahoney/Divulgação

Um dos DJ e produtores musicais mais famosos do mundo, Deadmau5, disse não se importar se toda a música eletrônica desaparecesse. Em entrevista na conferência FutureSound em São Francisco, Joel Zimmerman - nome real do DJ - disse: "Queimem toda a música eletrônica, eu não ligo!" E perguntado sobre a situação desta indústria, ironizou: "Eu vejo de uma maneira muito saudável: o mínimo esforço pelo lucro máximo. Hoje a pegada é mais artística. Valoriza-se muito mais o produtor do que o cara que consegue unir as tracks. Não se valoriza mais o DJ", explicou

No mesmo evento, Deadmouse5 disse não concordar com a posição em que aparece no ranking dos 10 maiores artistas de música dance da revista Forbes. Na lista, encabeçada pelo holandês Tiësto, Deadmau5 aparece em sexto lugar com ganhos estimados em $11 milhões de dólares por ano. Em entrevista a Future Sound Conference da Billboard, ele disse que não fatura nem a metade desse valor:

"Depois que vi a reportagem da Forbes, liguei para o meu empresário e o questionei: Cara, o que é isso? Eu estou uns $9 milhões abaixo. Precisamos conversar. Nenhum DJ anda faturando toda essa grana", conta.

O artista, que se apresenta fantasiado com uma cabeça de rato gigante, disse também que não condena outros DJs por copiarem seu truque de marketing: "Eu fui o primeiro a colocar alguma coisa na cabeça. Não posso repudiar ninguém por isso, mas entendo como é difícil ter uma identidade única para sua arte", explica.
Terra