5 eventos ao vivo

New Order encerra Benicàssim em clima de nostalgia e som dançante

15 jul 2012
21h11
atualizado em 16/7/2012 às 10h17
  • separator

Grande nome deste domingo do festival Benicàssim, na Espanha, os veteranos do New Order ficaram com a missão de fechar a edição 2012. O grupo liderado por Bernard Summer se reuniu recentemente - sem o baixista Peter Hook - para relembrar as grandes turnês que fizeram na década de 80, época em que gravaram seu nome na história da música como "pais" da música eletrônica.

O clima de nostalgia deu o tom no encerramento do festival. O New Order passeou pelos hits que marcaram os anos 80, como Crystal, Bizarre Love Triange e Blue Monday. A apresentação dos britânicos ainda rendeu espaço para outra memória, o Joy Division, banda fundada por Peter Hook, Bernard Summer, Stephen Morris e o vocalista Ian Curtis, morto em 1980, pouco antes do grupo lançar seu segundo álbum. A canção Isolation foi cantada pelos fãs do New Order em memória ao Joy Division. Para finalizar a apresentação, o maior hit do extinto grupo: Love Will Tear Us Apart. "Essa é para Ian".

"Está um pouco calor pra mim. Deve estar chovendo na Inglaterra. Espero que estejam curtindo um festival fabuloso", disse Summer.

Nesta edição do Benicàssim, a mistura de gênero deu a principal marca ao festival, reunindo atrações de vários segmentos unindo nomes consagrados com estreantes em grandes eventos.

Dia 1
A abertura do festival contou com shows de The Horrors, De La Suol, Dave Clarke Kurt Vil & The Violators, Example e diversos nomes. No entanto, o headliner At The Drive-in tomou conta do espetáculo. Famoso no final dos anos 90 por seu hardcore virtuso e "enfurecido", o grupo retomou as atividades no início do ano e se mostrou em plena forma sob a batuta da dupla Cedric Bixler Zavala e Omar Rodrigues-Lopez (também do Mars Volta), unidos novamente com Jim Ward, Paul Hinojos e Tony Hajjar. Canções como Napoleon Solo, Chanbara e One Armed Scissor comprovaram a importância do grupo e a relevância da sua reunião.

Dia 2
Dividindo atrações de diversos gêners em todos os seus palcos, o segundo dia do Benicàssim teve atrações como The Maccabees - a caminho do Brasil para se apresentar no Planeta Terra Festival no dia 20 de outubro -, Miles Kane, Bombay Bicycle Club e Chase & Status. Porém, o grande nome do Palco Maravillas dispensa apresentações: Bob Dylan. Aos 71 anos, com o largo chapéu que lhe é peculiar e acompanhado por uma banda afiada, que parece conhecer exatamente todos os movimentos de Dylan, o cantor, logo de cara, entoou dois clássicos: Leopard Skin Pill Box Hat, do mítico disco Blonde on Blonde, de 1966, e To Ramona, de Another Side of Bob Dylan, de 1964, conquistando o público desde o princípio do espetáculo. E foi esse o ritmo: Desolation Row, Ballad of a Thin Man, Simple Twist of Fate, Highway 61 Revisited, Like a Rolling Stone, aliadas às mais recentes Spirit on the Water, Thunder on the Mountain e The Levee´s Gonna Break, fazendo o público sentir exatamente a importância desse gigante da música mundial em contraste com as outras grandes, porém pouco experientes, atrações do evento.

Dia 3
O terceiro dia do tradicional festival Benicàssim foi marcado mais uma vez por um line-up eclético e cheio de nomes consagrados ao lado de estreantes nos grandes palcos. No sábado, o evento teve como grande atração os britânicos do Stone Roses, uma das bandas mais influentes do Reino Unido, atualmente em turnê de reunião.Além dos veteranos, o Benicàssim ainda teve como destaque deste sábado (14) o show de Noel Gallagher, ex-guitarrista e principal compositor da extinta banda Oasis. Com seu projeto solo, o britânico tocou canções de seu álbum de estreia, como If I Had a Gun, The Death of You and Me e Everybody is on the Run. No entanto, como já era esperado, hits do Oasis ganharam o público: Whatever e Don't Look Back in Anger, cantadas em uníssono.

Dia 4
Do rock ao eletrônico, o dia final do Benicàssim tve shows de The Vaccines, David Guetta, Ed Sheeran, Little Boots e outros. Encerrando as atividades do Palco Maravillas em 2012, ninguém menos do que os veteranos do New Order, considerados pais da música eletrônica, que transformaram o festival numa verdadeira pista de dança. Sucessos como Blue Monday, Crystal e Bizarre Love Triangle deram um clima nostálgico ao show dos britânicos, em turnê de reunião. A canção Isolation foi cantada pelos fãs do New Order em memória ao Joy Division. Para finalizar a apresentação, o maior hit do extinto grupo: Love Will Tear Us Apart. "Essa é para Ian".

Fonte: Terra
publicidade