0

Sambista gaúcha Zilah Machado morre aos 82 anos

7 jan 2011
21h16

A cantora, compositora e percussionista de samba gaúcha Zilah Machado morreu, nesta sexta-feira (7), às 12h45, no Hospital Beneficência Portuguesa, em Porto Alegre, por falência múltipla de órgãos. Ela estava internada há 70 dias, e sofria de câncer no fígado.

Ouça samba grátis no Sonora

O corpo da sambista está sendo velado no Teatro Glênio Peres, na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. O enterro será neste sábado, às 9h, no Cemitério Jardim da Paz.

Nascida em Porto Alegre em 13 de abril de 1928, de família humilde, ainda criança Zilah cruzou com o compositor Lupicínio Rodrigues, sua maior influência, que a levou à música. A mãe, lavadeira, queria que ela fosse professora. Segundo sua biografia no site oficial, Lupicínio disse à mãe que "essa menina vai ser cantora, porque já chora afinado."

Ela estudou canto lírico, mas abandonou a música erudita por falta de recursos para pagar os estudos e pelo preconceito. Fez carreira acompanhando orquestras na Argentina e no México, e substituiu Elis Regina como cantora na Rádio Gaúcha. Cantou em bares e casas noturnas em Porto Alegre e no Rio de Janeiro.

Zilah lançou seu primeiro disco, Já se Dança Samba como Antigamente, em 1980, pela gravadora CBS. No Rio, participou de filmes como Lúcio Flávio - Passageiro da Agonia, peças de teatro e da novela A Cabana do Pai Tomás, da TV Tupi. O segundo LP, Lupiciniana, lançado em 1988, homenageava o mestre Lupicínio Rodrigues.

Em 2000 lançou o CD Passageira da Nave dos Sonhos, e no ano passado foi lançado Ziriguidum, seu último disco. Produzido por Gelson Oliveira, Ziriguidum recebeu críticas positivas e ganhou uma menção especial no Prêmio Açorianos da Música 2010, na categoria Produtor Musical, e foi indicado a prêmios nas categorias Disco, Produtor Executivo, Compositor e Intérprete. Na ocasião, ela recebeu uma homenagem especial na Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre. Sua última apresentação ao vivo foi em 22 de setembro, no Teatro São Pedro, também na capital gaúcha.

A cantora, compositora e percussionista foi apadrinhada por Lupicínio Rodrigues
A cantora, compositora e percussionista foi apadrinhada por Lupicínio Rodrigues
Foto: Cláudio Etges / Divulgação
Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade