0

Planeta Terra agita público com mais de 11 horas de música

6 nov 2011
05h56
atualizado em 8/12/2011 às 15h14

Com o recorde de ingressos vendidos em apenas 14 horas depois de colocados à venda, a quinta edição do Planeta Terra mostrou por que o festival se consolida como um dos melhores eventos musicais do Brasil. As cerca de 20 mil pessoas que encheram o Playcenter neste sábado curtiram mais de 11 horas de música, comandada por 15 bandas e cantores de peso em dois palcos, o Sonora Main Stage e o Claro Indie Stage. Algumas das maiores referências da atualidade dividiram os holofotes com novos atores do cenário musical, trazendo tribos diversas para curtir o parque, que ainda teve 14 brinquedos que funcionavam ao longo do dia.

Ouça a rádio do Planeta Terra grátis no Sonora

Bandas consolidadas, como Strokes, Groove Armada e Interpol, se misturaram a novas apostas, como Toro y Moi, White Lies e Bombay Bicycle Club. O line-up ousado e bem diversificado recebeu elogios de vários fãs e de famosos. "O Planeta Terra de 2011 foi a expressão máxima do que a tecnologia e a música podem proporcionar para a audiência. Esse foi sem dúvida o melhor evento de musica que já produzimos e transmitimos", disse Alexandre Cardoso, diretor de Marketing do Terra para a America Latina e Estados Unidos.O público empolgado contagiou os músicos e vários deles vieram curtir os brinquedos, como o artista Chaz Bundick, mais conhecido como Toro Y Moi, que deixou o camarim para andar na montanha-russa. O clima entre os músicos também era de admiração: "não sabia que existia samba com metal", disse o integrante do Broken Social Scene Justin Peroff ao ouvir o som da banda pernambucana Nação Zumbi.

Muitos fãs vieram de outros Estados, enfrentaram viagens longas e fizeram qualquer coisa para aproveitar o som das bandas favoritas. Uma fã carioca de The Strokes teve um acidente e quebrou a perna poucas horas antes do início do festival, mas foi ao hospital, colocou gesso e voltou correndo para o Planeta Terra. Os fãs que enfrentaram a sensação térmica de cerca de 30°C aproveitaram os espaços de lounge, onde podiam se refrescar e recarregar as baterias - dos celulares e as próprias.

Descontração
Entre um show e outro, os fãs exibiam os diferentes estilos nos palcos e curtiam as atrações especiais. A piscina de bolinhas da Universidade Cruzeiro do Sul foi uma das mais inusitadas, que levou vários "amigos" a mirar em um alvo para derrubar os outros em uma piscina de bolinhas. Outra ação que atraiu muitos fãs foi a cabine do grito, da HP e-Print: aqueles que davam um berro que atingisse um nível mínimo de decibéis ganhava uma foto de si mesmo se esgoelando.

Os fãs que se arriscavam a atacar de DJ no estande da Close Up ganhavam uma camiseta fast pass, que dava direito a ir aos brinquedos sem enfrentar fila. Na ação montada pela Sedex, o público brincava de batalha naval para ganhar um passe pra despencar do Sky Coaster. Em clima romântico, os casais presentes no Planeta Terra, encontraram um lugar para curtir os shows no Sonora Main Stage com maior tranquilidade. Muitos casais chamaram a atenção ao improvisar um camarote no chão, que possui até "segurança pessoal".

Patrocínios
O evento teve cerca R$ 19 milhões em cotas de patrocínio vendidas para 15 empresas, um total aproximadamente 10% superior ao do ano passado. Os patrocinadores foram: Banco do Brasil, Claro, CloseUp, Gol, HP, Trident, Volkswagen, 51 Ice, Dermacyd, Devassa, Gafisa, Phillips, Sadia, Sedex e Universidade Cruzeiro do Sul.

Estrutura
As mais de onze horas de música ainda ganharam números importantes na estrutura para que a festa ficasse completa. Ao todo, 4.800 pessoas trabalharam no evento - contando com técnicos e equipes de montagem - nos 82 mil metros quadrados onde o festival se instalou. O sistema de iluminação utilizado pelas bandas consumiu 700 mil watts.

Foram montados 12 bares, sendo oito deles no Sonora Main Stage e quatro no Claro Indie Stage. O Planeta Terra Festival ainda contou com o suporte de dois ambulatórios médicos e cinco ambulâncias, sendo três delas com suporte avançado (UTI).

Transmissão ao vivo
Quem não conseguiu comprar ingresso ou vir de outra cidade pôde ver tudo pela transmissão em HD (High Definition - Alta Definição) do Terra, com três canais simultâneos mostrando o que acontecia nos dois palcos e nos bastidores. Foram 14 câmeras e mais de 130 profissionais de jornalismo, entre produtores, repórteres, fotógrafos, editores, cinegrafistas e equipe técnica, voltados para a transmissão. O Festival também foi transmitido para dispositivos móveis, como iPad e iPhone, da Apple, além de smartphones como BlackBerry, celulares que usam o sistema Android e alguns modelos Nokia. No Twitter, o festival ficou o dia todo nos primeiros Trending Topics - que enumera os assuntos mais comentados do microblog - com a hashtag #planetaterra.


Fãs de rock curtem 12 horas de música no Planeta Terra 2011
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade