0

Backstage: veja curiosidades dos bastidores das bandas do Planeta

21 out 2012
02h15
atualizado às 04h57
André Naddeo
Rafael Machtura
Direto de São Paulo

O internauta do Terra acompanhou ao vivo todos os detalhes da edição 2012 do Planeta Terra, neste sábado (20), no Jockey Club de São Paulo. Quer dizer, nem todos, já que a equipe de reportagem, presente no íntimo do backstage de ambos os palcos (Sonora Main Stage e Claro Indie Stage), traz curiosidades que só você poderá conferir com exclusividade nesta reportagem.

Sonora Main Stage

Com todo o charme de Shirley Manson e a simpatia de Butch Vigh, o Garbage foi a banda mais "boa praça" do backstage do Sonora Main Stage.Na área reservada ao camarim, eles bateram papo com Bethany Consentino e Bobb Bruno, do Best Coast, além de circular descontraidamente entrejornalistas e produtores.

Após o papo no camarim, Bethany e Bobb Bruno assistiram praticamente a todo o show do Garbage na lateral do palco. O guitarrista do BeastCoast disse que segue a carreira da banda há muito tempo, mas só nesta turnê pela América do Sul que teve a oportunidade de conhecê-los."Eles são incríveis e muito gente boas", contou.

Acompanhando a namorada Mallu, Marcelo Camelo aproveitou o festival para tirar fotos com sua câmera vintage analógica. "Vim para ficarjunto dela", contou, acendendo um cigarro na área externa do camarim. Enquanto chovia, o músico lamentou que o tempo estava péssimo para os fumantes: "a Mallu é super alérgica a cigarro e não posso fumar na área interna".

Como bom britânico, Brett Anderson, vocalista do Suede, não dispensou um bom chá. O músico foi visto tomando uma xícara quente da bebida enquanto conferia a apresentação do Best Coast na lateral do palco. Ele também não negou alguns cigarros enquanto esperava a hora do grupo tocar.

Reclusos quase todo tempo em seu camarim, o Kings of Leon é uma banda de pouco contato, até com a produção do evento. Headliners do Planeta Terra 2012, o grupo formado pelos irmãos e primo Followill tem credencias próprias para quem deve ficar nas laterais do palco e seus seguranças são bem restritos com o contato entre o grupo e o resto do pessoal.

Claro Indie Stage


Foi ver e ouvir para crer: Beth Titto, no auge da sua tão aclamada vinda, após duas passagens frustradas e canceladas, é bom que se diga, requebrou à base do kuduro. Sim, Avenida Brasil se fez presente no backstage do Claro Indie Stage do Planeta Terra. "Oi, desculpa, mas você está cantando isso mesmo? 'Oi, oi, oi', a música da novela?", perguntou a reportagem do Terra. "Sim, me falaram que está na moda aqui", respondeu a simpática vocalista e líder do Gossip. Escutou, Carminha?

Conhece a expressão arroz de festa? Cabe muito bem para os membros da Banda Uó, que se apresentaram no início da tarde de sábado (20), no palco indie. Sim, no começo da tarde, mas depois das 22h (de Brasília), com Beth Titto e Kings of Leon em ação, todos os integrantes, devidamente credenciados, bebericavam as, digamos, facilidades que o mundo backstage te proporciona. Nenhuma banda usufruiu tanto dos benefícios do que os atuais reis do tecnobrega.

Marina Vello, há 10 meses, saiu brigada do Bonde do Rolê para, ao lado de Adriano Cintra, coincidentemente também brigado com a galera do Cansei de Ser Sexy, para montar o Madrid. Tudo bem, tudo lindo, só faltou avisar a guitarrista e vocalista que a maquiagem sanguinária de sua apresentação, tão destacada pelo portal, sairia facilmente com um solvente. Mas, não. Ela fez questão de, até o final do festival, manter, firme e forte, a sua nova expressão facial: "desde que eu comecei a sangrar, eu nunca parei", justificou-se. Então, tá.

Skank no Planeta Terra? Sim, acredite se quiser. O tecladista Henrique Portugal, devidamente equipado com seus óculos "sem sol, sem lente" era figura cativa e fã dos brasileiros da Banda Uó. "Eles são agressivos, são a transgressão do pop", argumentou o mineiro boa gente. Mel Gonçalves, a líder da desenvoltura tecnobrega da banda, ficou feliz da vida: "me sinto respeitada". E como!

Miss simpatia: impossível não repetir Beth Titto. Enquanto equipes de TV travavam árdua batalha para consolidar uma entrevista ao vivo com demais membros, digamos, honoráveis do Claro Indie Stage, a ultra-simpática líder do Gossip era figura fácil no fumódromo do backstage. Apertou bochechas, tirou fotos e tascou um "selinho" na reportagem do Terra. É preciso dizer algo mais?

"Super-fofa": Jonathan Graham, baterista, ironicamente, do The Drums, era, na casa de apostas "palco indie" o ser mais são da atmosfera "aproveite a boca livre enquanto puder". "E aí, vai beber uma caipirinha?", questionou a reportagem do Terra, ao ver a figura parada em frente ao bar do backstage. "Eu nunca bebo antes dos shows", disse, antes de levar um café para o camarim. Graham, como diria o provérbio popular, "é gente que faz". Ou não.

Muito longe do Alaska: os potiguares do Far from Alaska, a banda vencedora do concurso que colocou a banda para abrir o Planeta Terra deste sábado, aproveitou ao máximo a oportunidade. Não só os drinks "na faixa" que rolavam no backstage: "amigos, estamos vendendo camisetas, e nosso EP", anunciou a vocalista Emmily Barreto. "É nossa chance de divulgar ao máximo o nosso nome", justificou, posteriormente, o baterista Lauro Kirsch. Mais do que justo.

Turma da fumaça: sem levar para o lado, digamos, ilícito da coisa, os integrantes do The Maccabees ganharam o título honorário de "maiores fumantes" do Planeta Terra. Por mais que a segurança tentasse amenizar o fog do camarim, foi a apresentação acabar que os cinco integrantes, juntos, nem quiseram falar com a imprensa antes de lançar mais um pouco de nicotina em suas respectivas veias. Cadê a Organização Mundial da Saúde (OMS) nessas horas?

Por fim: tudo bem que a Azealia Banks chegou com status de pura revelação ao Planeta Terra. Mais do que merecido, aliás, tendo em vista o show deslumbrante que a americana fez no festival. No entanto, sair do palco, para andar, 15 metros num carrinho de golfe, amparada por seguranças, para chegar ao camarim, não era para tanto, né, diva?

Transmissão
Com dois sinais simultâneos, um no Sonora Main Stage e outro no Claro Indie Stage, os internautas assistiram aos 13 shows do Planeta Terra Festival 2012, ao vivo do Jockey Club de São Paulo, inclusive por tablets, smartphones e TVs conectadas. A transmissão do Terra, maior empresa latino-americana de mídia digital, foi feita para todo o País em HD (ou padrão standard, a depender da velocidade de banda do internauta) e teve duração de aproximadamente 11 horas, a partir das 13h. O evento contou com 12 câmeras, incluindo duas microcâmeras instaladas em cima dos palcos e duas gruas, uma para cada, para a exibição de todos os detalhes dos shows.

Vc repórter
Curtiu as atrações do Planeta Terra? Envie fotos, vídeos e relatos para o vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra, clicando aqui.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade