3 eventos ao vivo

Perseguidor de Madonna tem seu caso reaberto e volta ao tribunal

31 mai 2012
11h32
atualizado às 11h34

Dois anos após a sua primeira prisão por perseguir a cantora Madonna, Robert Linhart, que hoje está em liberdade, teve seu caso reaberto pela polícia de Nova York.

Robert foi detido por quatro policiais em 2010, quando cercava a casa da popstar segurando um canivete e um picador de gelo. Seu caminhão tinha até uma placa em homenagem a Madonna.

Em maio de 2011, ele criou uma conta no Twitter e desde então ataca as decisões do juíz responsável pelo caso, além de denunciar a suposta violência cometida pelos policiais que o flagraram.

"Quatro covardes oficiais desonestos bateram em um homem algemado de 59 anos. Ele está preso por nada, exceto falar o que pensa. Tudo virá à luz" , postou Robert.

Nesta quinta-feira (31), o perseguidor da cantora, que usa o perfil "@madonna_stalker", voltou a comentar sobre o caso, dessa vez dizendo que o caso foi revogado, e que ele deverá voltar ao tribunal no próximo mês.

"Bem-vindo ao meu pesadelo! Juiz Wittner inverte sua decisão de cancelar o caso. Meu julgamento será em 19 de junho de 2012. Meu advogado Kevin Kitson se demitiu", escreveu.

Robert Linhart foi preso em 2010, depois de cercar a casa da cantora em Nova York
Robert Linhart foi preso em 2010, depois de cercar a casa da cantora em Nova York
Foto: Getty Images
Bangshowbiz Bangshowbiz
publicidade