7 eventos ao vivo

Para crítico do 'NYT', não será fácil Ivete conquistar os EUA

6 set 2010
11h12
atualizado às 11h20

Jon Pareles, principal crítico de música do jornal New York Times e um dos mais respeitados do mundo, assistiu ao show da baiana no Madison Square Garden e não ficou muito impressionado. Apesar de reconhecer algumas qualidades no som e na postura da cantora, ele acha que será bem difícil Ivete repetir o sucesso de cantoras como Shakira e Beyoncé no mercado norte-americano.

"Não vai ser fácil para a sra. Sangalo expandir seu território e se juntar a artistas como Beyoncé, Madonna e Shakira sendo uma pop star reconhecida globalmente. Há, inevitavelmente, a barreira da língua para as músicas em português. O set de Sangalo incluiu dois estranhos antigos sucessos americanos: Human Nature, de Michael Jackson, recriada como um samba-reggae baiano, e Easy, do Commodores, que ela cantou e tocou no piano. Seu dueto com Nelly Furtado, Where it Begins, foi uma fusão pop leve, mas mais promissora: uma canção de amor otimista em inglês mesclada com uma batida brasileira. Ela também atingiu a audiência de língua espanhola: seus duetos com Juanes e Diego Torres foram canções românticas bilíngues".

Pareles afirmou que outra dificuldade para Ivete fazer sucesso nos EUA é o ritmo alucinante da axé music: "Muitos dos seus sucessos brasileiros, como Cadê Dalila, usam a rápida e barulhenta batida da música do Carnaval baiano, o axé - uma batida que poucos fora do Brasil conseguem acompanhar. É um ritmo mais difícil de ser assimilado pelo público internacional que o R&B; de Beyoncé ou a cumbia de Shakira. Ela tentou uma estratégia de cruzamento internacional: colocando sintetizadores e uma batida 'denominador' comum de 4/4 sob um dos medleys de sucessos. Mas abrir mão completamente desta 'propulsão brasileira' iria neutralizar sua música. É o dilema do cruzamento, e que Sangalo ainda precisa trabalhar".

O crtítico, no entanto, elogiou a energia "infatigável" de Ivete no palco e seu "espírito de diva". Pareles disse que os brasileiros eram a grande maioria dos 15 mil presentes no Madison Square Garden, e fizeram um verdadeiro Carnaval com a série de sucessos da axé music que Ivete desfilou. Pareles termina o texto dizendo que após o final do show os brasileiros cantaram juntos "eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor", que ele definiu como um "canto que celebra as vitórias no futebol".

Para Jon Pareles, as principais dificuldades da baiana são a barreira da língua e o ritmo acelerado da axé music
Para Jon Pareles, as principais dificuldades da baiana são a barreira da língua e o ritmo acelerado da axé music
Foto: AP
Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade