inclusão de arquivo javascript

 
 

Músico de jazz sul-africano é morto a tiros

05 de abril de 2004 14h13

O respeitado jazzista sul-africano Gito Baloi foi morto a tiros no centro de Johanesburgo, anunciaram autoridades sul-africanas na segunda-feira. Com isso, tornou-se o mais recente artista importante a virar vítima do alto índice de criminalidade violenta no país.

A polícia disse que Baloi, baixista nascido em Moçambique e radicado na África do Sul, foi baleado e morto por dois assaltantes na madrugada do domingo, quando voltava para casa de carro depois de fazer um show em Pretória.

As autoridades convocaram o público a ajudar a localizar seus assassinos. "É triste e vergonhoso que pessoas que são profissionais e sul-africanos com muito orgulho, que continuam a trabalhar incansavelmente para elevar o padrão de desenvolvimento do país, estejam virando alvos de criminosos implacáveis", disse Nomvula Mokonyane, o ministro de Segurança da província de Gauteng.

Baloi tinha 39 anos. Ele ficou famoso como integrante do premiado grupo de jazz Tananas, e, além disso, fez vários álbuns solo.

Outro artista sul-africano de destaque, Tebogo Madingoane, do grupo Mafikizolo, líder das paradas, foi morto a tiros em fevereiro, depois de uma discussão com outro motorista em Soweto, um subúrbio de Johanesburgo.

Vários assassinatos brutais vêm chamando a atenção para o alto índice de criminalidade violenta na África do Sul nos últimos meses.

Em um dos casos, um empregado de uma fazenda foi agredido e dado de alimento a leões, possivelmente enquanto ainda estava vivo. Em outro incidente, quatro membros de uma mesma família foram sequestrados e mortos.

O índice de homicídios caiu nos últimos dez anos, em parte devido a uma queda marcante na violência política, mas ainda é aproximadamente oito vezes superior ao índice norte-americano.

Reuters
Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.