inclusão de arquivo javascript

 
 

Caso Luma é tema de música do Mundo Livre S/A

02 de abril de 2004 21h43 atualizado às 21h43

O grupo mundo livre s/a. Foto: Trama/Divulgação

O grupo mundo livre s/a
Foto: Trama/Divulgação

Inspirada no mais recente filme do dinamarquês Lars Von Trier e nos últimos acontecimentos envolvendo Luma de Oliveira, nasceu Dogville, Coleiras e Bombeiros, música inédita que o grupo pernambucano Mundo Livre S/A está disponibilizando no site da gravadora Trama.

"Quando assisti Dogville, percebi uma coincidência", contou Fred Zeroquatro, líder da banda. "Quando o Lars Von Trier criou a personagem da Nicole Kidman, nunca ia imaginar que uma pessoa da alta sociedade brasileira se exibisse publicamente usando uma coleira".

Para divulgar a canção, a banda escolheu a agilidade da internet, assim como já havia feito com Caiu a Ficha, composta logo após os atentados de 11 de setembro de 2001, que teve milhares de downloads. "A internet ajudou a resgatar as crônicas do cotidiano na música brasileira, algo que havia se perdido devido à lentidão dos processos dentro da indústria fonográfica", justifica.

Fred salienta a importância da parceria da banda com a Candeeiro, selo de Recife: "Estamos jogando para o mundo algo composto, gravado e produzido em Recife. Isso se deve muito ao apoio total do selo, que nos disponibilizou o estúdio sem pensar no retorno financeiro".

Veja a letra da música abaixo:

Dogville, Coleiras e Bombeiros

Anota a placa
passa a caneta
vai lá seu guarda eh oh

A brasileira (aprisionada)
sente atração por brincadeira
O aldeão (não digo nada)
tem fixação por traseira

Olha só vem parando
um veículo suspeito
o radar do gaiato já avisou...
A felina esvoaçante
jogou charme no volante (arrancou)
a galera aturdida se inflamou...

Vai lá seu guarda, passa a caneta
aplica a multa eh oh

O brasileiro não vale nada
tem obsessão por brincadeira
A mais formosa (encoleirada)
sente atração por mangueira...

Olha lá vai trinando
a escarlate viatura
o sininho da deusa já alertou
O bombeiro todo prosa
sorridente casanova (acenou)
a aldeira alarmada protestou...

anota a placa, vai lá seu guarda, passa a caneta...

Redação Terra