inclusão de arquivo javascript

 
 

Los Pirata aposta na 'MPB mexicana'

17 de fevereiro de 2004 14h50 atualizado às 14h50

A banda Los Pirata durante entrevista para o  Terra. Foto: Terra

A banda Los Pirata durante entrevista para o Terra
Foto: Terra

Direto de San Pablo para o mundo, o trio Los Pirata surge conquistando espaço com sua mistura de surf music acelerada, blues rascante, rock pré-Elvis e trilha sonora de desenho animado (ou de um filme de Quentin Tarantino) com letras em "portunhol" e muita ironia. Ou "música rock, rápida, bolero, música latina e MPB mexicana", como disseram os próprios em entrevista ao Portal Terra após os dois shows - seguidos - de lançamento do primeiro álbum, En Uma Onda Neo-Punque, no teatro do Sesc Pompéia, em São Paulo.

Veja o clipe de Nada
Ouça Blackbird, cover dos Beatles, ao vivo no show de lançamento
Confira entrevista

Enquanto metade da cidade sofria com fortes chuvas, do outro lado do mapa, mais precisamente na Pompéia, um número grande de pessoas enfrentava fila em busca de um lugar para assistir ao show do trio formado por Jesús Sanchez (baixo e voz), Loco Sosa (bateria e voz) e Paco Garcia (guitarra e voz). A assessora do Sesc Pompéia tentava explicar a aglomeração à reportagem do Terra. "Cabem 400 pessoas no teatro. Deve ter bem mais, se contarmos as pessoas em pé, as sentadas na escada e as que estão nos corredores laterais". Se o teatro estava completamente lotado, do lado de fora a fila não diminuía. Na banca da Volume 1, selo que lançou o CD En Uma Onda Neo-Punque, o álbum já havia esgotado. "Só trouxemos 50 CDs e vendemos tudo em meia hora. Eu achei que as chuvas fossem afastar o público, não imaginava que fosse ser assim. Se tivéssemos trazido 200 CDs, venderíamos tudo", avaliava o vendedor.

Como não dá para chorar sobre a tequila derramada, no palco, o Los Pirata fez uma apresentação irrepreensível. O trio segue na contra-mão do underground nacional, quase sempre caracterizado por músicos que não sabem tocar muito bem, mas tentam mostrar que 'sabem' tocar muito bem. No caso da banda, os músicos são excelentes, mas fazem a música mais primária do mundo. Essa mistura de rock dos anos 50 com surf music, blues com country e punk, música latina com música popular brasileira mexicana diverte e conquista o público que já decorou (sem muita dificuldade) letras como Nada (que concorreu ao prêmio de Demo Clip no Vídeo Music Brasil da MTV em 2001) que diz "nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, en mi corazón".

No palco, olhando de frente, temos à esquerda Jesús Sanchez tocando seu Fender Six, um baixo de seis cordas e afinação de guitarra. "É um instrumento andrógino", brinca o baterista Loco, que não fica atrás com seu instrumento. No centro do palco, ele massacra o kit infantil de uma bateria de brinquedo. "Faz três anos que estou tentando quebrá-la e não consigo", ironiza. "Se alguém tiver alguma idéia de como eu possa conseguir isso, me escreva", pede humildemente o baterista. No lado direito, Paco Garcia canta, toca guitarra e solta os 'efeitinhos' especiais que completam a festa.

Por mais difícil que seja conversar com seriedade com o grupo (as entrevistas em vídeo, ao lado, não deixam mentir), é possível contar a história da banda de forma rápida, sem perder a graça. O Los Pirata foi formado em 2000 por João Erbetta (o Paco), Marcelo Effori (o Loco) e Sérgio Villaça (Jesús). De músicos de estúdio requisitados com trabalhos ao lado de gente como Arnaldo Antunes, Lu Horta e Moisés Santana, o trio decidiu investir no surf-punk, buscando inspiração em Pixies e Beatles (matadoras versões de Blackbird do quarteto de Liverpool e Run Devil Run de Paul McCartney marcaram presença no show). O nome da banda é uma homenagem ao personagem de Didi Mocó dos Trapalhões.

Quatro anos após surgir, a banda faz seu show de lançamento precisando repetir a apresentação para o público que ficou do lado de fora do teatro. "Eles vão fazer outro show seguido depois desse", me explica a produtora da banda, enquanto o teatro é esvaziado para a segunda apresentação. Com o ambiente novamente lotado, o trio retorna para mais 50 minutos de rock e diversão, na mesma medida. Quase ao final, Paco pergunta para a platéia. "Quantos de vocês estavam no primeiro show?". Uma meia dúzia de gatos pingados levanta a mão. Ou seja, mais de 400 pessoas esperaram do lado de fora para verificar o que tem de bom o grupo que ganhou capa do caderno Ilustrada da Folha de São Paulo no final do ano passado e acaba de ser apontado como responsável por um dos melhores discos de 2003, segundo a Outracoisa, revista de Lobão. O guitarrista sorri, vira para Loco que conta "un, dos, tres", e a fábrica de barulho volta a funcionar. Eis uma banda para se prestar bastante atenção. O site do grupo dá mais informações sobre os próximos passos dos Los Pirata.

Redação Terra

Banda apresentou dois shows no mesmo dia no Sesc Pompéia, em São Paulo

  1. A banda Los Pirata no palco do teatro do Sesc Pompéia  Foto: Marcelo Costa/Terra

    A banda Los Pirata no palco do teatro do Sesc Pompéia

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  2. Los Pirata em show de lançamento de seu CD, En Una Onda Neo-Punque  Foto: Marcelo Costa/Terra

    Los Pirata em show de lançamento de seu CD, En Una Onda Neo-Punque

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  3. Jesús Sanchez com seu Fender Six, um baixo de seis cordas  Foto: Marcelo Costa/Terra

    Jesús Sanchez com seu Fender Six, um baixo de seis cordas

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  4. O nome Los Pirata foi inspirado em Didi Mocó dos Trapalhões  Foto: Marcelo Costa/Terra

    O nome Los Pirata foi inspirado em Didi Mocó dos Trapalhões

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  5. O lançamento do CD En Una Onda Neo-Punque do Los Pirata reuniu aproximadamente mil pessoas em dois shows no Sesc Pompéia, em São Paulo  Foto: Marcelo Costa/Terra

    O lançamento do CD En Una Onda Neo-Punque do Los Pirata reuniu aproximadamente mil pessoas em dois shows no Sesc Pompéia, em São Paulo

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  6. O Los Pirata mistura surf, punk, folk, country em um resultado bastante particular, ou como eles mesmos dizem: MPB mexicana  Foto: Marcelo Costa/Terra

    O Los Pirata mistura surf, punk, folk, country em um resultado bastante particular, ou como eles mesmos dizem: "MPB mexicana"

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  7. O som dos Los Pirata é movido por uma guitarra que parece um baixo, uma guitarra guitarra mesmo e uma bateria de brinquedo  Foto: Marcelo Costa/Terra

    O som dos Los Pirata é movido por uma guitarra que parece um baixo, uma guitarra guitarra mesmo e uma bateria de brinquedo

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  8. Paco é o vocalista do Los Pirata  Foto: Marcelo Costa/Terra

    Paco é o vocalista do Los Pirata

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  9. O CD En Una Ona Neo-Punque do Los Pirata está sendo lançado pelo selo independente Volume 1  Foto: Marcelo Costa/Terra

    O CD En Una Ona Neo-Punque do Los Pirata está sendo lançado pelo selo independente Volume 1

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  10. O baterista do Los Pirata, Loco Sosa  Foto: Marcelo Costa/Terra

    O baterista do Los Pirata, Loco Sosa

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  11. O baixista Jesús Sanchez do Los Pirata  Foto: Marcelo Costa/Terra

    O baixista Jesús Sanchez do Los Pirata

    Foto: Marcelo Costa/Terra

  12. A banda Los Pirata participou do VMB 2001 concorrendo em Melhor Demo Clip por Nada  Foto: Divulgação

    A banda Los Pirata participou do VMB 2001 concorrendo em Melhor Demo Clip por Nada

    Foto: Divulgação

  13. Uma das primeiras fotos do grupo, com Loco ainda sem barba, no centro  Foto: Divulgação

    Uma das primeiras fotos do grupo, com Loco ainda sem barba, no centro

    Foto: Divulgação

  14. A banda Los Pirata durante entrevista para o Portal Terra, após o show no Sesc Pompéia  Foto: Terra

    A banda Los Pirata durante entrevista para o Portal Terra, após o show no Sesc Pompéia

    Foto: Terra

/foto/0,,00.html