inclusão de arquivo javascript

 
 

Paulinho Nogueira morre de enfarte em São Paulo

02 de agosto de 2003 17h20 atualizado em 03 de agosto de 2003 às 15h33

O compositor e cantor Paulinho Nogueira. Foto: Trama/Divulgação

O compositor e cantor Paulinho Nogueira
Foto: Trama/Divulgação

Morreu neste sábado (2), aos 74 anos, em São Paulo, o violonista e compositor Paulinho Nogueira, vítima de um enfarte em sua casa. O velório e o enterro acontecerão no Cemitério do Morumbi, em São Paulo. O corpo de será enterrado neste domingo, às 14 horas.

O músico estava trabalhando em um novo projeto e entraria em estúdio no próximo dia 25 para gravar um CD só com canções de Tom Jobim, mas com arranjos próprios. Chico Buarque - Primeiras Composições, seu último disco e 26º da carreira, foi gravado no ano passado.

Filho de um violinista, aos 10 anos, começou a tocar violão em Campinas, interior de São Paulo. Aos 19 anos foi para São Paulo trabalhar como desenhista, mas, sem emprego, passou a tocar violão em casas noturnas. A Voz do Violão foi seu primeiro disco, gravado em 1960.

Paulinho também foi professor de violão e tornou-se um dos mais procurados, desenvolvendo um método próprio de ensino, e revelando grandes nomes da música brasileira, como Toquinho. O artista tocava freqüentemente no programa O Fino da Bossa, da TV Record, ao lado de Baden Powell e Rosinha de Valença. O amigo Vinícius de Moraes compôs para Nogueira a canção Choro Chorado.

Menina, Bachianinha e Menino Desce Daí foram alguns de seus sucesso. Além de cantor e compositor, Paulinho inventou a craviola, que mistura sons de cravo e viola com suas 12 cordas em 1969.

O compositor é considerado um dos principais representantes paulistas da Bossa Nova.

Redação Terra