0

Nos 40 anos de morte, fãs visitam túmulo de Jim Morrison

3 jul 2011
13h10
atualizado às 16h14

Fãs de Jim Morrison se reuniram neste domingo (3) no cemitério parisiense de Pere-Lachaise, 40 anos após a morte do vocalista do The Doors, apesar da maioria dos presentes não ter idade suficiente para ter acompanhado de perto a carreira do ídolo.

Ouça The Doors grátis no Sonora

Com camisetas de Morrison e do The Doors, as pessoas se reuniam ao redor do túmulo do lendário cantor que morreu em Paris no dia 3 de julho de 1971. A sepultura coberta de fotos, poemas, flores, velas e outros objetos está protegida por barreiras. Com incensos, muitos visitantes permanecem longos períodos em silêncio em frente ao túmulo.

Muitas pessoas chegam e saem num fluxo intenso. Os visitantes fazem parte de várias gerações diferentes, mas a maioria tem menos de 40 anos. "Passei a metade da minha vida pensando no Jim Morrison. Ele é mais do que apenas um cantor", disse David Martin, um italiano da região de Treviso, perto de Veneza. David Martin foi ao cemitério com vários amigos, todos com cerca de 30 anos de idade. "Já tínhamos vindo quando completou 30 anos (da morte de Morrison) e voltaremos para os 50", afirmou.

"Jim Morrison não sai de moda. Nem sua música, nem suas letras nem suas mensagens. Tudo de Morrison é atual", acrescenta o amigo Vanni della Zanna, que mostra com orgulho uma blusa preta com o rosto do ídolo e as datas "03/07/1971 - 03/07/2011" que mandou fazer especialmente para a ocasião.

Ao lado, Fabio Marcon, também do norte da Itália, explica que The Doors provocou neles a "paixão pela música". Tanto que ele formou um grupo que se chama "The Shaman's Blues", cujo repertório é o mesmo da banda americana de Morrison.

Antoine Thomas e Corentin Naveau são de Epernay, a pouco menos de 150 quilômetros de Paris, afirmam estar "defasados quanto a própria geração". "A música atual tende a usar recursos mais fáceis de conseguir que a de Morrison", disse Corentin, elogiando o "carisma" do cantor falecido há 40 anos. "Temos nostalgia de uma época que não conhecemos", lembrou um dos amigos.

Quarenta anos depois de encontrarem Jim Morrison morto em uma banheira, em Paris, as causas da morte do "Rei Lagarto" ainda são um mistério. Condenado nos Estados Unidos por "atentado ao pudor", o cantor foi para o exílio em Paris durante a primavera de 1971, rompendo com sua banda. Ao lado de Pamela Courson, em Paris, tinha a intenção de se dedicar à poesia.

No entanto, a saúde do roqueiro que chegou a ser um sex-symbol se deteriorava rapidamente com o álcool e drogas. Na manhã do dia 3 de julho foi encontrado morto na banheira de sua casa. Segundo a perícia, morreu de um ataque cardíaco aos 27 anos, a mesma idade com que morreram antes dele Jimi Hendrix, Janis Joplin e Brian Jones.

Com camisetas do The Doors, as pessoas se reuniam ao redor do túmulo do cantor que morreu em Paris
Com camisetas do The Doors, as pessoas se reuniam ao redor do túmulo do cantor que morreu em Paris
Foto: AP
AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade