0

'Mãe é mãe, dá saudade', diz Maria Rita sobre Elis Regina

23 mar 2012
18h01
atualizado às 23h45
Laila Garroni
Direto de Porto Alegre

De mãos dadas com o meio-irmão, João Marcello Bôscoli, durante todo o tempo, a cantora Maria Rita assistiu a imagens de arquivo que mostravam declarações e fotos de sua mãe, Elis Regina. Prestes a apresentar ao grande público o primeiro show da célebre turnê que relembrará uma das maiores intérpretes do Brasil, a filha da pimentinha - como era conhecida Elis - não conteve as lágrimas e se emocionou durante os primeiros minutos da coletiva de imprensa do projeto NIVEA Viva Elis, promovida nesta sexta-feira em Porto Alegre. "Mãe é mãe, dá saudade", declara Maria Rita no vídeo promocional.

Após um longo suspiro e breve enxugada de lágrimas, Maria Rita falou por mais de meia hora sobre Elis e de como foi a decisão de participar de um projeto que, até anos atrás, era inimaginável, já que, desde o início de sua carreira, fugiu da sombra das comparações com a mãe.

Maria Rita explicou que, naquele momento, interpretar as canções de Elis, seria cair no "lugar comum, no mais fácil", Ela ressalta que, na época, o objetivo era o de mostrar o seu trabalho, e não tudo que havia a sua volta. "Para mim, era uma questão de ética emocional, profissional, não fazer nada que fosse do repertório dela. Não podia permitir que imaginassem que eu estava simplesmente de carona ou apenas me divertindo."

Maria Rita confessou que, logo após dar sim ao projeto, chegou a pensar em desistir de tudo: quando viu a notícia sobre a homenagem, a um ano de ser de fato realizada, estampando as capas de jornais. Depois disso, disse ela, "virou uma confusão". "Nas redes sociais, no meu Twitter, no Facebook, e-mails. O telefone não parava de tocar. Foi tudo muito grande. Eu estava em outro momento, para mim aquilo só ia acontecer dali a um ano. Para mim, internamente, eu queria um ano pra me preparar. Diante daquela comoção tal, eu falei, 'eu não vou fazer'".

A cantora avaliou que não só o peso emocional como também a complexidade e qualidade da obra deixada por Elis dificultaram, de certa forma, todo o processo de escolha e ensaios das músicas. Maria lembrou que, durante a concepção do show, que quando a banda se reunia "saía fumacinha da cabeça", principalmente nos momentos em que tinham que escolher as músicas que ficariam de fora do repertório.

A parceria
Sobre a parceria com a Nivea, João Marcello, filho de Elis com Ronaldo Bôscoli, disse que viu como uma "grande solução" para viabilizar o projeto de forma gratuita. Além dos cinco shows - que serão realizados de graça em espaços públicos - O Viva Elis, também contará com uma exposição multimídia itinerante, que passará pelas mesmas cidades e onde será apresentado um documentário sobre a vida e obra de Elis, e a produção de um livro, cujos exemplares serão distribuídos para faculdades e bibliotecas públicas.

"Sempre foi uma premissa do projeto que tudo isso fosse de graça. Os livros serão distribuídos de graça, o documentário, que é uma parte integrante da exposição, também, assim como a exposição e os shows. Tudo isso é entregue de graça. Acho que é uma grande discussão no Brasil sobre o preço do ingresso. Sem entrar no mérito, acho que através de alternativas como essa que a gente consegue resolver isso."

Viva Elis
Depois de passar pela capital gaúcha no sábado, às 18h, no Anfiteatro Pôr-Do-Sol, o show será realizado dia 1º de abril no parque Dona Lindu, no Recife; em 8 de abril, no Parque das Mangabeiras, em Belo Horizonte; em 22 de abril no auditório Ibirapurera, em São Paulo; e em 29 de abril, no aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro. A entrada de todos os shows será gratuita e a de Recife será transmitida ao vivo pela internet, no site promocional do evento.

Maria Rita falou sobre a mãe e como será o show em sua homenagem
Maria Rita falou sobre a mãe e como será o show em sua homenagem
Foto: Divulgação
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade