2 eventos ao vivo

Líder do Evanescence admite nervosismo em retorno ao Brasil

15 out 2009
16h10
  • separator

O Evanescence que se apresenta no Maquinária Festival no dia 8 de novembro, em São Paulo, é diferente do que tocou no Brasil em 2007. Mais diferente ainda do grupo formado em Little Rock, Arkansas, ainda nos anos 90. Entre idas e vindas de integrantes, a cantora Amy Lee é a única da formação original na banda. Em entrevista ao Terra, a vocalista falou um pouco sobre a expectativa no retorno ao País e admitiu nervosismo.

» Ouça músicas
» Confira letras

"Faz dois anos que não tocamos e eu estou um pouco nervosa. Mas acho que vai ser muito divertido e estamos muito concentrados nesse show", disse Amy Lee, por telefone. Reclusa preparando o próximo disco da banda, a cantora afirmou que o contato com o público deve ajudar no seu processo de composição. "Estamos escrevendo novas músicas para o próximo disco e é só isso que tenho feito. É bom variar um pouco para fazer show e sentir a vibração dos fãs", afirmou.

Do público brasileiro, a cantora só tem boas memórias. "Me lembro dos fãs. Eles são loucos por nós e nós por eles. Eles gritavam e completamente apaixonados pela música. Lembro que na hora senti que queria tocar mais vezes aí", disse. "Não gosto de colocar um grupo de fãs na frente do outro, mas com certeza brasileiros são loucos. São ótimos e muito carinhosos. Sempre com presentes e com palavras doces para nos dizer", completou.

Previsto para ser lançado no segundo semestre de 2010, o novo álbum da banda começa a ser gravado em fevereiro, segundo a cantora. "Já gravamos as demos em minha casa, mas ainda precisamos entrar de fato em estúdio para fazer isso", disse.

No entanto, os fãs brasileiros do Evanescence não verão nenhuma música inédita no show do dia 8. "Não tocaremos nada novo porque queremos que o álbum seja lançado antes. Basicamente já sabemos o que vamos tocar. Queremos fazer algo diferente da última vez que estivemos aí. Estamos relembrando músicas extras para poder decidir o que vamos tocar", explicou.

Fã confessa do Cansei de Ser Sexy, Amy Lee diz que a música vive um período fértil. "Já passamos por uma época maluca onde tudo era ruim, mas acho que agora melhorou. Gosto muito dos brasileiros do CSS, eles são demais. Também o novo disco do Depeche Mode. Temos muita música boa, mas não as encontraremos nas rádios", afirmou.

Sem o auxílio radiofônico, a vocalista explica que a web é uma alternativa para se encontrar música de qualidade, mas com ressalvas. "A internet ajuda, mas também atrapalha. Ela dá espaço para todo mundo. Todos têm a possibilidade de colocar sua música online e hoje existem milhões de bandas. É difícil realmente encontrar alguma boa", explicou.

Nesse "oceano de bandas", como cita Amy Lee, a cantora crê que falta um espírito mais aventureiro na indústria fonográfica. "As gravadoras estão com medo de arriscar e investem pouco em boa música", afirmou.

Amy Lee é a única remanescente da formação original
Amy Lee é a única remanescente da formação original
Foto: Getty Images

Veja também:

Drake critica Grammy por esnobar The Weeknd em indicados
Fonte: Redação Terra
publicidade