3 eventos ao vivo

Laura Pausini: "Álbum foi algo totalmente novo para mim"

11 nov 2011
14h07
atualizado em 14/11/2011 às 22h38

Vivian Ortiz
Direto de São Paulo

O dia 11 de novembro de 2011 é uma data especial para Laura Pausini. Hoje, a cantora italiana lança o 11º álbum de sua carreira, Inedito , um reflexo de todo o percurso que viveu nos últimos dois anos, após dar uma pausa na carreira para se dedicar a vida pessoal. "Todo o processo que resultou neste disco foi algo novo e totalmente inédito para mim, por isso o nome", explicou a cantora, em entrevista exclusiva a reportagem do Terra .

Durante o encontro, Laura Pausini contou um pouco mais sobre o processo de criação do novo trabalho - um álbum com 14 canções no total, incluindo o sucesso Benvenuto -, deu detalhes sobre os shows da turnê - que aterrizam na cidade de São Paulo nos dias 21, 22 e 23 de janeiro de 2012 -, e ainda confessou os motivos que a fizeram dar uma pausa na carreira - cuja decisão tomou logo após ganhar um Grammy Latino, em 2009.

À seguir, confira a entrevista na íntegra:

Terra - O álbum Inedito é realmente algo diferente de tudo o que você já fez na sua carreira até hoje?
Laura Pausini: Inedito não é um título para dizer que as músicas são inéditas, mas sim para mostrar o percurso que fiz durante os últimos dois anos no intuito de produzir este disco, algo totalmente novo e inédito para mim. Meus discos anteriores foram escritos durante as viagens, dentro do camarim, do avião, com muita correria. Apesar de também terem sido experiências maravilhosas, descobri que existe uma maneira mais serena e calma de produzir.

Terra - Em que momento você decidiu que era hora de parar?
Laura: Quando ganhei meu último Grammy Latino (pelo álbum Primavera Anticipada , em 2009), um jornalista perguntou o que iria fazer com o prêmio. Respondi que voltaria para a casa da minha família, com meus pais, e que iria me retirar. Quando a notícia chegou à Itália, todos me perguntavam: "Está louca? Como você pode parar no momento de grande êxito da sua carreira?". Mas eu precisava fazer isso, agora sei que precisava. E fiz.

Terra - Como lidou com os vários boatos que surgiram na época, inclusive de que estava deixando a carreira por estar grávida?
Laura: Todos os dias surgia algum boato na imprensa, o que era muito pesado para mim. Acabei elegendo um programa de televisão na Itália, muito sério, e fui até lá falar sobre a minha decisão. Não era necessário tudo isso, mas achei melhor esclarecer. Precisava fazer uma pausa, para ter uma vida normal. Queria ser uma filha e não fazer uma filha (risos).

Terra - As pessoas compreenderam?
Laura: Acredito que sim. Eu era muito madura na parte artística, mas muito imatura na vida pessoal. Agora, sinto-me muito mais forte. Claro que não gosto de certas coisas que aprendi, como pagar imposto ou ir ao supermercado todo o tempo (risos), mas eu sei como fazer e isso é muito importante, pois me ajuda a continuar com os pés no chão. Se algum dia tiver um filho, agora sei ensinar essas coisas para ele. A experiência foi fundamental até para a minha profissão de cantora.

Terra - Os fãs não te reconheciam?
Laura: Sim. Dentro do banco, por exemplo, sempre quando eu entrava um funcionário dizia "Sra. Pausini, por favor, venha!" E eu dizia: Não! Parei para aprender, se estava lá queria ficar na fila como todos. Na Itália, as pessoas sabem que comecei a fazer sucesso muito jovem, com 18 anos. Então, respeitaram esse momento muito especial da minha vida.

Terra - Por ser um álbum que nasceu de uma experiência tão pessoal, Inedito World Tour terá um tom mais intimista?
Laura: Não, pelo contrário. Já fiz muitos shows intimistas em minha carreira, mas, depois desses dois anos, eu desejava voltar e fazer um mega show. Dentro do espetáculo estará toda a minha vida musical. Por isso, além do disco novo, canto todas as canções mais conhecidas de minha carreira.

Terra - Qual foi a sua intenção ao escolher a música Benvenuto como 1º single de divulgação do novo álbum?
Laura: Muitas pessoas conhecem a minha carreira pelas canções e baladas melancólicas. Assumo que sou melancólica e sempre vou escrever canções assim. Porém, depois de dois anos tão belos, eu quis oferecer quatro minutos de otimismo, alegria, esperança e força. Quero estimular as pessoas mais jovens a não terem medo de mostrar como elas verdadeiramente são. Acho muito importante dar boas vindas a pessoas verdadeiras. É disso que fala a canção.

Terra - Os fãs percebem que você gosta muito de nosso País. Quais cantores brasileiros te inspiram?
Laura: Meu artista favorito em todo o mundo é Tom Jobim. Inclusive, ele também tem um disco que se chama inédito. Espero que isso me dê sorte! Também gosto de música mais atual. Na Itália, por exemplo, toca muito Maria Gadú e gosto dela e de sua história, pois leio muitas coisas de sua vida na imprensa italiana. Também escuto muito de Marisa Monte, Ivete Sangalo e do cantor Ed Motta, que tem um som muito interessante. Ana Carolina é outra que tem uma voz incrível e gostaria muito de fazer algo com ela.

Terra - Já surgiu alguma conversa sobre isso?
Laura: Não, espero poder me encontrar com ela durante minha próxima visita ao Brasil, em janeiro.

Italiana cantará novamente no País em janeiro de 2012
Italiana cantará novamente no País em janeiro de 2012
Foto: Divulgação
Terra

compartilhe

publicidade
publicidade