0

Lana del Rey mostra sensualidade em seu primeiro show no Brasil

10 nov 2013
00h23

Frágil e sofisticada, a cantora nova-iorquina Lana del Rey mostrou neste sábado toda sua sensualidade no palco do festival Planeta Terra de São Paulo, em seu primeiro show no Brasil, com a qual conseguiu conquistar o enérgico público.

Acompanhada por um quarteto de cordas e em um ambiente de grande intimidade, a artista americana surpreendeu seus milhares de fãs com um vestido branco, de ar angelical, que contrastou com o erotismo de cada um de seus estudados movimentos.

Após começar o show com "Cola", a versão mais sedutora de Lana del Rey desceu do palco para conversar durante cerca de dez minutos com seu público, assinar autógrafos e receber uma coroa de flores e uma bandeira do Brasil com a qual cantou "Body Electric".

"Obrigado por me lembrarem porque adoro cantar", disse a seus admiradores com sua voz aveludada no meio de um palco rodeado de palmeiras, que deram mais calor ao entardecer paulista.

Em seguida vieram dois de seus grandes sucessos "Blue Jeans" e "Born to die", ambos fortemente acompanhados pelo público, e que, após "Dark Paradise", abriram passagem para "Young and Beautifull".

Após cerca de uma hora, Lana del Rey começou a sentir o cansaço de sua intensa atuação e decidiu tirar os sapatos de salto para cantar descalça "Without you", canção que emendou com a versão de Bob Dylan de "Knockin' on Heaven's Door".

A diva, admirada e criticada em partes iguais, não esqueceu de nenhuma de suas grandes músicas: "Ride", "Summertime Sadness", "Video Games" - sucesso que lhe deu fama - e "National Anthem", com o qual encerrou o show.

Não contente com os minutos com os quais tinha passado com seu público, a artista desceu de novo do palco, distribuiu mais beijos e autógrafos, para desaparecer finalmente carregada de presentes.

No entanto, enquanto soavam os últimos acordes da melancólica voz de Lana del Rey, em outro dos palcos do festival Planeta Terra, Beck, ícone da música independente dos anos 90, marcou o compasso de outra parte do público que balançou ao ritmo de "Loser", o single que lhe deu fama em 1993 e que ainda hoje é uma referência na cena musical alternativa.

Após mais de dez anos sem fazer show no Brasil, o cantor também interpretou "Girl", "Moder Guilt", "E-Pro" e "Soul of a Man", entre outras.

Outros dos destaques desta sétima edição do festival foram a banda escocesa Travis e a britânica Blur, encarregada de encerrar a noite.

EFE   
publicidade