Música

publicidade
06 de março de 2013 • 15h08 • atualizado às 16h04

Irmão de Chorão xinga ex do cantor e quase a agride no IML

Graziella, ex-mulher do cantor, na entrada do IML de São Paulo, onde está corpo de Chorão
Foto: Bruno Santos / Terra
  • Nathália Salvado
    Direto de São Paulo
 

Enquanto familiares de Chorão aguardavam em uma pequena sala do IML de São Paulo, nesta quarta-feira (6), Ricardo, irmão do cantor, e Graziella, ex-mulher do vocalista, iniciaram uma ríspida discussão, rapidamente contida por parentes do músico, evitando, assim, agressões físicas.

A discussão pôde ser vista e ouvida da área externa do local, de onde foi possível constatar que Ricardo claramente xingou Graziella de "puta" e, posteriormente, foi para cima dela, com o intuito de lhe dar um empurrão. O contato só não ocorreu porque familiares os separaram e pediram por calma.

Conheça a trajetória de Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr.Clique no link para iniciar o vídeo
Conheça a trajetória de Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr.

Ricardo permaneceu na mesma sala, enquanto Graziella foi encaminhada para outro recinto, evitando, assim, um estresse ainda maior em um momento já tão difícil. Ele não falou com a imprensa ao deixar o local, por volta das 16h.

Questionado sobre a briga, Reginaldo, ex-cunhado do músico - que é irmão de Taís, primeira mulher do vocalista - disse que acontece mesmo, e que está todo mundo muito nervoso. “Todo mundo latino, sangue quente”, afirmou sem dar maiores explicações.

Vocalista e principal letrista da banda Charlie Brown Jr., Alexandre Magno Abrão, o Chorão, foi encontrado morto em sua casa, no bairro de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (6). Foi o motorista do cantor quem o encontrou desacordado e telefonou para o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

A Polícia Militar recebeu um chamado para averiguação de morte natural na residência do músico às 5h18. O corpo foi encontrado no local e será examinado pela perícia. Inicialmente, o caso seria investigado pelo 14° DP, mas será transferido ao DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa). As causas da morte ainda são desconhecidas e o laudo sairá em 30 dias.

 

Terra Terra