Especiais
Festival de Verão
Madonna

 Sites relacionados
Arquivo do Rock
FM O Dia
Dynamite
Nando Reis
Palco MP3
Território da Música


  Letras e cifras


 Notícias por e-mail
Receba as últimas notícias no seu e-mail
 Fale conosco
Mande suas críticas e sugestões. Participe!





Música
Quarta, 31 de agosto de 2005, 17h40  Atualizada às 18h35
Para M.I.A., funk carioca vai dominar o mundo
 
 Últimas de Música
Busca
Busque outras notícias no Terra:

Ela descreve o funk carioca - ou funk favela, como chama o estilo musical celebrizado pelo DJ Marlboro - como "a coisa mais poderosa" que já escutou.

"É a música que melhor representa o som vindo dos guetos. É um estilo que lembra o começo do hip hop. O funk é grande o bastante para dominar o mundo", afirma a cantora M.I.A., um dos destaques da black music britânica e que se apresenta no Tim Festival, nos dias 22 de outubro, no Rio, e no dia 23 do mesmo mês, em São Paulo.

Diante de tanto entusiamo em relação ao funk, não é de estranhar que M.I.A. esteja ávida para subir aos palcos no Brasil ao lado de uma de suas "musas inspiradoras", a funkeira carioca Deise Tigrona. Em Bucky Done Gun, uma das faixas de Arular, o primeiro disco de M.I.A., a cantora e Diplo, seu produtor/namorado, sampleou um trecho do funk Injeção, interpretado originalmente por Deise Tigrona e produzido por Marlboro, que mais tarde, em retribuição, remixou a música de M.I.A, que aprovou a versão.

"Adoraria fazer um dueto com Deise, mas só vamos cantar em português. Porque se não, minha mãe não vai gostar. Vou dar para ela uma folha de papel de mentirinha com umas letras em inglês dizendo coisas como: 'Jesus te ama".", comenta M.I.A, que apesar de não ser das mais pudicas em suas letras está longe de ser tão maliciosoa quanto uma Tatty Quebra-Barraco.

Raízes

Em comum com as funkeiras, M.I.A. tem a origem humilde. Ela nasceu no Sri Lanka e veio para a Grã-Bretanha aos dez anos de idade trazida por sua mãe, que chegou ao país como refugiada.

Sua família pertence à etnia tamil. Seu pai é um ex-militante rebelde do grupo guerrilheiro Tigres Tâmeis, que permaneceu em seu país natal e, ainda hoje, tem pouco contato com a cantora, supostamente por motivos de segurança.

Até por conta de sua origem conturbada, M.I.A. vê com naturalidade o tom político de suas letras. Ela afirma que o tema de uma de suas músicas, Sunshowers, chegou até a antecipar episódios como a morte do eletricista Jean Charles de Menezes pela polícia de Londres.

Jean Charles

"Quando eu escrevi há dois anos versos como: 'Eles o encurralaram e simplesmente o assassinaram', as pessoas me perguntavam: 'Do que diabos você está falando?"

De acordo com a cantora, o governo britânico e a mídia incutiram na população um clima de medo e de desconfiança pouco após os atentados de 7 de julho deste ano, em Londres.

"Se até as autoridades agem de forma completamente louca e sem sentido, as pessoas também começam a assimilar essa loucura. Agora, até a comunidade brasileira em Londres está se sentindo acuada".

Talvez por estar saturada das mazelas londrinas, M.I.A. planeja até passar férias de um mês no Brasil, após seus shows no Tim Festival.

"No início, o pêndulo estava voltado para o lado de artistas muito ricos, que lotavam estádios, como Bruce Springsteen e Rod Stewart. Hoje, os artistas que lotam estádios são os de hip hop, como Jay Z, 50 Cent e Eminem. Espero que o pêndulo vá para o lado do Brasil, onde há garotos fazendo música de qualidade com o mínimo de recursos."
 

BBC Brasil

BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.

 
 » Conheça o Terra em outros países Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2010,Terra Networks Brasil S/A   Proibida sua reprodução total ou parcial
  Anuncie  | Assine | Central do Assinate | Clube Terra | Fale com o Terra | Aviso Legal | Política de Privacidade