Especiais
Festival de Verão
Madonna

 Sites relacionados
Arquivo do Rock
FM O Dia
Dynamite
Nando Reis
Palco MP3
Território da Música


  Letras e cifras


 Notícias por e-mail
Receba as últimas notícias no seu e-mail
 Fale conosco
Mande suas críticas e sugestões. Participe!





Música
Quarta, 14 de abril de 2010, 04h01  Atualizada às 07h31
Placebo faz show discreto e empolga pequeno público no RS
 
Mariana Bittencourt
Direto de Porto Alegre
 
Fabio Mattos/Terra
Vocalista Brian Molko falou em português com os fãs
Vocalista Brian Molko falou em português com os fãs
 Últimas de Música
Busca
Busque outras notícias no Terra:

A banda Placebo fez sua primeira apresentação da turnê brasileira nesta terça-feira (13), no Pepsi On Stage, em Porto Alegre (RS). O trio de rock alternativo veio ao País para divulgar as canções de seu último disco, Battle for the Sun, de 2009. Como muitos fãs já esperavam, o belga Brian Molko (vocais, guitarra e teclado), o sueco Stefan Olsdal (baixo, teclado, guitarra, backing vocal) e o americano Steve Forrest (bateria) não fizeram um show interativo. No entanto, a empolgação do pequeno público presente fez Molko exclamar "Que beleza!", em bom português, durante a execução da música Special K, um dos hits do álbum Black Market Music, de 2000.

» Veja as fotos do show do Placebo no RS
» Ouça Placebo no Sonora
» Siga o Terra no Twitter

Porém, a demonstração positiva por parte da banda veio tarde. Até a metade do show, os músicos não fizeram mais do que tocar e cantar, sem pedir a participação do público. Brian Molko, que usava maquiagem pesada, emendava música atrás de música, parando apenas para arriscar alguns "obrigados" em português e inglês. Entre as seis primeiras músicas, somente Battle for the Sun, faixa-título do último álbum, foi acompanhada em coro.

A partir da metade do show, Placebo passou a tocar músicas de álbuns mais antigos - e mais conhecidos pelo público. Quando a banda iniciou a faixa Every You Every Me, do segundo disco de estúdio, Without You I'm Nothing, de 1998, os fãs cantaram, pularam e aplaudiram com força pela primeira vez na apresentação. O maior hit da banda foi seguido por Special Needs, de Sleeping With Ghosts, de 2003, que recebeu palmas logo no início. Após a fraca repercussão de Breathe Underwater, o público acompanhou com vontade as músicas seguintes, como Never-Ending Why e Bright Lights. A faixa Meds iniciou mais lenta do que sua versão original, mas acelerou após a introdução, levando os fãs a cantarem durante toda a música. Porém, foi durante a execução de Special K e The Bitter End que os músicos Brian Molko e Stefan Olsdal se soltaram, vibrando com a resposta do público.

No auge do show, a banda saiu do palco e retirou os instrumentos, mas manteve o telão ao fundo ligado, com a imagem de uma bailarina dançando ao som de um piano. Após o público gritar "Placebo!" por alguns minutos, os músicos voltaram com toda a energia para tocar um bis de três faixas. Em Trigger Happy, Olsdal e Molko pediram que os fãs os acompanhassem com as mãos para cima. Em seguida, em Infra-Red, o vocalista parou de cantar por alguns instantes para observar o público cantando em coro. Por fim, Taste in Men iniciou com uma longa introdução e terminou com um agradecimento da banda inteira, inclusive dos músicos de apoio, que até então permaneciam coadjuvantes na apresentação.

Abertura
Duas bandas abriram o show do Placebo em Porto Alegre. A primeira, Volantes, fundada na capital gaúcha, mostrou músicas de seu primeiro EP, Sobre Gostar e Esperar, de 2009, além de faixas inéditas. A segunda a tocar foi Superdose, de São Paulo, que acompanhará o Placebo na turnê pelo Brasil. O grupo apresentou faixas de seus dois CDs, Superdose, de 2007, e do recém gravado Cidade Luz.

Volantes foi considerada uma revelação do indie-rock no ano passado - a banda recebeu duas indicações ao Prêmio Açorianos de 2009, por Melhor Disco (Sobre Gostar e Esperar) e Melhor Compositor (Arthur Teixeira). Segundo João Augusto (vocais e guitarra), o estilo da banda, apelidado por amigos de "axé-indie" por causa do uso de tambores em apresentações, permanece em transformação. "É uma brincadeira, a gente gosta tanto de se reinventar quanto de inventar adjetivos", diz João. De acordo com os músicos, a vantagem de abrir o show de uma banda como Placebo é ter a oportunidade conquistar novos públicos. "Uma pessoa vê a outra cantando a nossa música no show e pensa 'se ela também gosta de Placebo, eu posso gostar dessa banda", diz Otávio Mastroberti (sintetizadores, programação e vocais). Os músicos estão em fase de gravação de um novo trabalho, ainda sem previsão de lançamento.

Turnê no Brasil
Placebo se apresentou em Porto Alegre com a formação que tem desde 2008, quando o baterista Steve Forrest assumiu o lugar que era ocupado por Steve Hewitt. A banda de apoio é formada por Fiona Brice (apoio vocal, teclado e violino), Nick Gravilovich (guitarra e teclado) e William Lloyd (baixo, guitarra e teclado).

Depois de Porto Alegre, o Placebo se apresenta em Curitiba (PR) nesta quarta-feira (14). Em seguida, parte para Belo Horizonte (MG), onde faz show na sexta-feira (16). No sábado (17), a banda se apresenta em São Paulo.

Confira o setlist:
1. For What It's Worth
2. Ashtray Heart
3. Battle for the Sun
4. Soulmates
5. Speaking in Tongues
6. Follow the Cops Back Home
7. Every You Every Me
8. Special Needs
9. Breathe Underwater
10. Julian
11. The Never-Ending Why
12. Bright Lights
13. Devil in the Details
14. Meds
15. Song to Say Goodbye
16. Special K
17. The Bitter End
18. Trigger Happy
19. Infra-Red
20. Taste in Men

 
Redação Terra
 
 » Conheça o Terra em outros países Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2010,Terra Networks Brasil S/A   Proibida sua reprodução total ou parcial
  Anuncie  | Assine | Central do Assinate | Clube Terra | Fale com o Terra | Aviso Legal | Política de Privacidade