Especiais
Festival de Verão
Madonna

 Sites relacionados
Arquivo do Rock
FM O Dia
Dynamite
Nando Reis
Palco MP3
Território da Música


  Letras e cifras


 Notícias por e-mail
Receba as últimas notícias no seu e-mail
 Fale conosco
Mande suas críticas e sugestões. Participe!





Música
Quarta, 23 de julho de 2008, 11h26  Atualizada às 11h44
Marcelo Camelo é cobiçado por produtores de shows do Brasil
 
Bráulio Lorentz
 
Antonio Reis/Especial para Terra
Marcelo Camelo fará a estréia de sua carreira solo em setembro
Marcelo Camelo fará a estréia de sua carreira solo em setembro
 Últimas de Música
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O Brasil quer ver, tocar, relembrar. A estréia solo de Marcelo Camelo em CD só sai em setembro, mas não foi preciso sequer ouvir todas as novas canções do ex-vocalista do Los Hermanos, disponíveis despretensiosamente em sua página do MySpace, para que produtores de todo o Brasil começassem a correr freneticamente atrás dos primeiros shows do barbudo do Bairro Peixoto, região intocada próxima a Copacabana, no Rio de Janeiro.

» Leia mais notícias da agência JB

A partir de 29 de agosto, Camelo - líder do grupo de pop-rock carioca que virou fenômeno no país e que anunciou no ano passado uma interrupção sem data para volta - já tem oito aparições confirmadas em Belo Horizonte, Recife, Salvador, Juiz de Fora, Porto Alegre, Goiânia e Rio, onde se apresenta no Canecão (nos dias 13 e 14 de dezembro).

A banda escalada para apoiar o cantor e compositor carioca é a paulistana Hurtmold, que faz som experimental e instrumental há mais de 10 anos.

"Já ouvi uma quantidade de músicas suficientes para achar que vale a pena e o fato de ele tocar com o Hurtmold também conta. Vai esgotar com certeza. Ele chama um público que não viria para o festival. Mesmo com a banda, ele terá alguns momentos sozinho", justifica a contratação Ana Garcia, produtora do No Ar Coquetel Molotov, que recebe a primeira apresentação solo de Camelo, em 19 de setembro, no Teatro da Universidade Federal de Pernambuco.

Antes de ser a atração principal, Camelo já tem presença garantida no Eletronika, que acontece em Belo Horizonte, no Palácio das Artes, de 28 a 31 de agosto.

"O que temos confirmado é um show do Hurtmold com participação do Camelo no dia 29 de agosto", adianta o produtor e curador Aluizer Malab.

"Se ele quiser tocar o repertório dele inteiro, melhor ainda, mas não vai ser uma estréia solo. Se o show ainda estiver cru, que seja cru", acrescenta Malab.

Shows só em teatro
Empresário do ex-hermano, Alex Werner confirma a estréia no Recife e afirma que não é coincidência o fato de as apresentações serem para um público sentado, diferentemente do que os Hermanos já fizeram.

"Será assim por causa do repertório. Funciona melhor. Ele só deve tocar duas ou três músicas em Belo Horizonte e estrear no Recife. Infelizmente, tocar no Tim Festival é boato. Mais alguma pergunta?", conta Werner.

Pablo Capilé, que produz os festivais Grito Rock, Calango e outros eventos em Cuiabá, sabe o que perguntar.

"Nas próximas semanas vou dar uma ventilada para saber se tem como trazê-lo. Tem idéia de quanto está o cachê?", indaga o produtor.

"É natural que ele esteja na pauta de uma série de festivais. Ele só não tocaria no Calango porque não trabalhamos com artistas de grandes gravadoras", explica Capile.

O festival, que acontece entre 8 e 10 de agosto, já tem programação fechada e a banda principal na noite do dia 9 é justamente o Hurtmold, mas sem Camelo.

"Temos que nos adaptar aos espaços. Essa transição é tranqüila. Tocar num lugar mais quieto não será algo novo para nós", diz Guilherme Granado, tecladista e vocalista do grupo, que já gravou suas quatro participações no debute de Camelo e conheceu o parceiro há seis anos, num programa da TV Cultura.

"A sonoridade do disco é variável. O desafio é fazer os arranjos para o show. Cada um tem uma idéia de como deve soar ao vivo. A primeira vez que a gente se viu foi no Musikaos, em 2002", conta Granado.

"Os Los Hermanos estavam divulgando o Bloco do Eu Sozinho. Abrimos alguns shows deles e o contato continuou. A partir daí foi se desenvolvendo essa história", prossegue o músico do Hurtmold.

O CD tem contribuições não só do Hurtmold, mas também de Dominguinhos, da pianista Clara Sverner e de Domenico Lancelotti.

"Ele é muito aberto e talentoso e deu liberdade para jogarmos nossas idéias, mas as composições são deles. Os arranjos são feitos juntos. São suaves e isso deve continuar no show", relata Granado.

Por causa dos Hermanos, Camelo conheceu a banda de apoio. Também por meio do ex-grupo esbarrou com o produtor Fabrício Nobre, do Goiânia Noise, que o escalou para o dia 21 de novembro.

"Assim que soubemos da carreira solo, o Alex nos procurou e marcou a data", diz Nobre.

No dia 21 de setembro, a Concha Acústica do TCA, em Salvador, recebe o segundo show solo. Outras datas são em Juiz de Fora, no Cine-Theatro Central, em 4 de outubro e Porto Alegre, no dia 16, no Teatro do Bourbon Country.

"Claro que tinha interesse no show, mas fiquei sabendo que as apresentações serão restritas a teatros e salas de convenções. E O Mada sempre foi ao ar livre, à beira da praia", lamenta Jomardo Jomas, produtor do Mada, festival realizado em Natal de 14 a 16 de agosto.

Um dos sócios do Cinemathèque, Daniel Koslinsky sonha com a estréia em sua casa de shows de 200 pessoas, localizada na cidade do Rio de Janeiro: "o Camelo é um cara muito low profile. É um artista de primeiro time".
 

JB Online
 
 » Conheça o Terra em outros países Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2010,Terra Networks Brasil S/A   Proibida sua reprodução total ou parcial
  Anuncie  | Assine | Central do Assinate | Clube Terra | Fale com o Terra | Aviso Legal | Política de Privacidade