5 eventos ao vivo

Em SP, Péricles, do Exalta, grava 1º trabalho solo: "estou apavorado"

5 mai 2012
05h28
atualizado às 08h54
David Shalom
Direto de São Paulo

"São raros os momentos em que eu fico apavorado. E este é um deles". Foi assim que Péricles definiu seu sentimento no show realizado na madrugada deste sábado (5), no Credicard Hall, em São Paulo. E não é de se estranhar. Pela primeira vez em seus mais de 25 anos de estrada, o pagodeiro se viu como protagonista diante de um grande público, sem precisar dividir a atenção com Chrigors ou Thiaguinhos.

Para aumentar ainda mais a ansiedade, o show possuía uma característica enervante a qualquer artista, independente da experiência nos palcos: a gravação de um DVD. Mais do que isso, o primeiro trabalho solo de sua carreira. O projeto vai na onda do que Thiaguinho, seu colega no Exalta, e outros tantos vêm fazendo nos últimos tempos, priorizando investimentos a um trabalho ao vivo em vez de dedicá-los a um disco de estúdio.

Apesar de agendado para subir ao palco no ingrato horário das 23h30 - algo nada convencional para um show em uma grande casa de espetáculos paulistana -, Péricles só deu as caras uma hora depois, sendo ovacionado pelos presentes no momento em que atravessou sorridente o portal que o levaria ao largo pedestal de onde cantaria ao longo de grande parte da noite.

Acompanhado por um conjunto composto por quase 30 músicos, incluindo uma orquestra de cordas e três cantores de apoio, Péricles focou seu repertório principalmente em canções dos compositores Carica e Prateado, do grupo Sensação, como Meu Sorriso, Pedaços e Oya. De fato, até a faixa de abertura da apresentação, uma versão reformulada de Amei, é obra da dupla.

"Escolhemos um repertório para homenageá-los, porque nada mais justo. Eles são conhecidíssimos em São Paulo e merecem isso. Realizo um sonho ao cantar essas obras", explicou Péricles em um de seus discursos no palco. "E o carinho que vocês estão me dando aqui é, para este sonho, primordial. Fiquem à vontade que a festa é nossa."

Distante de ter um nome popular como o de Thiaguinho, Péricles não se apresentou diante de um público grande, apesar de ter visto a maior parte dos espaços da casa de espetáculos ocupados. Isso porque a configuração do show de gravação do pagodeiro foi diferente da do colega, excluindo a pista em pé para inserir mesas e cadeiras. A característica proporcionou um clima mais intimista ao show, porém sem tanta empolgação. Quem esperava por uma noite repleta de dança e suor precisou se contentar em batucar os ritmos nas pernas e balançar os braços de um lado para o outro nos refrões mais melosos.

Como destaque para o momento especial do pagodeiro foi providenciado um cenário de palco caprichado: ornamentos remetendo a motivos florais, estruturas móveis que modificavam discretamente a aparência do espaço e um globo de discoteca disposto no teto da casa de shows que, iluminado por luzes azuis e brancas, trouxe um belo e brilhante céu estrelado para dentro do Credicard Hall.

De lado
Pode soar estranho, mas por alguns momentos Péricles deixou de ser o protagonista da noite. Se normalmente os artistas trocam de figurino durante as canções, em momentos como solos de guitarra ou longas introduções, o pagodeiro optou por fazê-lo no intervalo delas - algo que poderia gerar arrastados minutos de silêncio tedioso à plateia. No entanto, a opção inteligente encontrada para lidar com o contratempo foi manter a banda inteira no palco executando um samba de sucesso enquanto a troca era feita. Houve versões de nomes como Arlindo Cruz a Exaltasamba, este último interpretado pelo percussionista Pinha, um dos fundadores do grupo, que faz parte da equipe de Péricles.

O pagodeiro ainda contou com dois convidados especiais para a gravação do DVD. O primeiro, Lucas Morato, seu filho, cantou sozinho a canção Olá, composição própria, finalizada com um forte e emocionado abraço no pai.

O segundo, e sem dúvida o mais esperado, foi Luan Santana - que, ironicamente, acabou também gerando os momentos de maior impaciência na plateia ao longo das mais de 2h30 de apresentação. Sem decorar a letra, o sertanejo precisava da ajuda de um teleprompter para guiá-lo durante a canção Cuidado Cupido, do Art Popular. O problema foi que a equipe responsável pelo aparelho teve problemas na hora de manuseá-lo e o cantor acabou escorregando em um dos trechos finais por três vezes consecutivas. Resultado: o público precisou ouvi-la até o desgaste e, ainda assim, ao fim do repertório, encerrado com Linguagem dos Olhos, o jovem voltou ao palco para uma nova tentativa - desta vez, acompanhada pela debandada de parte do público, que já não aguentava mais vê-la.

Set-list
Abertura: Capela da Música Amei
Ótima
Meu Sorriso
Aquela Foto
Pedaços
Supra Sumo do Amor
Não Tão Menos Semelhante
Depois da Briga
Coração
Me Leva Pra Casa
Leito de Estrelas
Custo a Entender
Trajetória
Céu de Santo Amaro
Oyá
Sentimento Nu
Esse Segredo
Tempo Perdido
Olá (com Lucas Morato)
Amei
Tudo Azul
Cuidado Cupido (com Luan Santana)
Linguagem dos Olhos

Pagodeiro fez apresentação com cenário caprichado e conjunto com quase 30 músicos no Credicard Hall
Pagodeiro fez apresentação com cenário caprichado e conjunto com quase 30 músicos no Credicard Hall
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade