PUBLICIDADE

Drogas e violência: veja os músicos que tiveram problemas com a polícia

22 ago 2012 09h46
Publicidade

No dia 21 de fevereiro, as cinco integrantes do grupo Pussy Riot, todas encapuzadas, invadiram uma área restrita do principal templo ortodoxo russo, tiraram a roupa e começaram a fazer o que chamaram de "oração punk", ou seja, a tocar guitarra elétrica e cantar palavras contra o presidente Vladimir Putin. O ato causou grande repercussão no mundo todo.

Em março, três integrantes do Pussy Riot foram identificadas e presas, enquanto as outras duas seguiram em liberdade. Um tribunal de Moscou condenou na semana passada a dois anos de prisão as três integrantes do grupo. A juíza Marina Syrova anunciou sua sentença depois de considerar Maria Alyokhina, Nadezhda Tolokonnikova e Yekaterina Samutsevich culpadas de "vandalismo motivado por ódio religioso¿. A condenação das meninas chamou atenção de estrelas da música, como Madonna, que manifestou seu apoio à banda.

Muitos músicos e bandas já entraram em conflitos com a lei, seja por falta de pagamento de pensão alimentícia, apologia às drogas, subir ao palco sem roupa ou desacato a autoridade. A lista é grande e conta com nomes como Rita Lee, U2, Beatles, Queens Of The Stone Age, Jim Morrison, Planet Hemp e Carlinhos Brown. Clique na aba e relembre os conflitos entre músicos e polícia.

Meninas da banda Pussy Riot foram condenadas por "vandalismo" em uma igreja da Rússia; Michela Jackson foi acusado de abuso sexual infantil; e Belo foi preso acusado de associação para o tráfico de drogas
Meninas da banda Pussy Riot foram condenadas por "vandalismo" em uma igreja da Rússia; Michela Jackson foi acusado de abuso sexual infantil; e Belo foi preso acusado de associação para o tráfico de drogas
Foto: AP/Getty Images/Agnews / Divulgação
Fonte: Terra
Publicidade