4 eventos ao vivo

Com dreads e menos 17 kg, Belo lança CD e comemora ser 4º mais tocado

20 jul 2013
11h04
atualizado às 11h04
  • separator
  • 0
  • comentários

Quinze anos de carreira, quatro filhos, uma neta, uma suposta traição, quatro anos de prisão e oito milhões de discos vendidos. Agora, aos 39 anos, ele exibe dread nos cabelos, 17 kg a menos, é ex-fumante e está feliz. Ex-"loirinho do pagode", como ele mesmo se define, Marcelo Pires Vieira, o tão famoso Belo, fez de tudo para mudar seu estilo e se desvencilhar de vez do passado. Com um visual rastafári que não tem muito - na verdade, nada - a ver com o pagode romântico que entoa nos palcos do Brasil, o músico, que estreiou no grupo Soweto, está lançando seu novo CD, intitulado Tudo Novo, e conversou com Terra, por telefone, sobre a nova fase.

<p>Belo adotou um novo visual recentemente</p>
Belo adotou um novo visual recentemente
Foto: Gabriel Wickbold / Divulgação

"Sempre fui aquele cara que entrava no estúdio, cantava e ia embora.  Dessa vez, não. Desde o projeto inicial, concepção de arte, fotografia, letra. Estive em todas as etapas. Cuidei de tudo. Por isso, é tudo novo!", contou. "Mudei o cabelo, perdi 17 kg, são quatro toneladas de equipamento na estrada, balé, coreografias. A única coisa que não mudou foi minha forma de cantar, interpretar. Sou um cantor romântico", disse, antes de completar com uma das frases mais repetidas durante a conversa, com orgulho: "sou o quarto artista mais tocado no Brasil". 

Belo adora falar sobre o novo visual. Ele que pensou em colocar dreads e ficou sete horas para conseguir o estilo de que tanto se orgulha. "Comecei a ver, pesquisar e lembrei do Lenny Kravitz. Fui ver e a época em que ele fez mais sucesso foi quando ele usava dread. Procurei outros modelos e pensei: "é isso!'.  A escolha foi maravilhosa!", opinou. E Gracyanne Barbosa, sua mulher há um ano, aprovou o visual?  "Ela é apaixonada! A mãe dela é que acordava ela de madrugada pedindo para não me deixar fazer isso", afirmou.

O novo CD de Belo, apesar de um grande número de canções românticas, tem algumas faixas  com uma pegada mais dançante, muito conhecida na voz de cantores como Thiaguinho ou o grupo Sorriso Maroto. As músicas, além do ritmo, tem frases como "se eu te pego vai ficar gamada", "querendo lê lê lê" e "vou com tudo na pressão", citações muito presentes no segmento do pagode atual. Belo resolveu apostar nessa novidade para conquistar o público jovem. "Quero esse público jovem, que curte muito essa linguagem mais moderna mesmo. Peguei esses compositores que fazem música de atualidade, já são meus amigos de muito tempo e eu nunca tinha gravado nada", explicou. Um dos exemplos é Umberto Tavares, responsável por alguns hits de Anitta, como Meiga & Abusada.

Belo passou por uma fase bem difícil em 2002, quando foi preso, acusado de associação com o tráfico de drogas. Na época, foram reveladas escutas telefônicas entre o cantor e um traficante, em que o bandido pedia dinheiro e, em troca, Belo exigia um fuzil Ar-15. Ele foi condenado a seis anos de prisão. Apesar disso, o cantor afirmou que não se arrepende de nada em sua vida. "A vida é feita de oportunidades e o futuro a Deus pertence. A gente pode imaginar um projeto ótimo, mas só quem sabe é Deus. Não me arrependo de nada!", completou.

Confira a entrevista completa:

Terra - O álbum se chama Tudo Novo. Você emagreceu, mudou o cabelo. Por que essas mudanças todas? Você considera que sua música também mudou?
Belo - A música é a única coisa que não mudou. Tenho 15 anos de carreira. Esse é o primeiro álbum que eu dirijo e produzo, que eu trabalho como diretor geral. Eu me sinto, sim, lisonjeado por esse sucesso.  Já vendi oito milhões de discos nesses 15 anos de carreira e nunca tinha produzido nada. Sempre fui aquele cara que entrava no estúdio, cantava e ia embora.  Dessa vez, não. Desde o projeto inicial, concepção de arte, fotografia, letra. Estive em todas as etapas. Cuidei de tudo. Por isso, é tudo novo! Mudei o cabelo, perdi 17 kg, são quatro toneladas de equipamento na estrada, balé, coreografias. A única coisa que não mudou foi minha forma de cantar, interpretar. Sou um cantor romântico. Sou o quarto artista mais tocado no Brasil. Então, tudo isso já esta dando resultado. Sempre fui o cara com o cabelo loirinho. A galera ouvia “loirinho do pagode” e já saiba que era eu. Agora, estou de dread. Isso fez com que o meu público mudasse também. Agora tenho garotos de 14, 15, 16 anos indo aos meus shows e adorando! As pessoas adoraram a mudança! Essa coisa de espetáculo, são duas horas de show. Sou ex-fumante também! Estou há um ano e nove meses sem fumar. Faço natação, tênis. Antes não fazia nada disso. Era sedentário. Não saía. Só ficava em casa jogando videogame.  Ainda jogo videogame, mas agora também faço atividade física. Quando digo tudo novo é tudo novo mesmo!

Terra - Você disse que parou de fumar. Isso melhorou sua vida? Sua voz?
Belo - Que besteira que foi fumar! Vi que coisa boba eu tinha feito. Fumei por muito tempo e não foi difícil parar. Todo mundo me pergunta se foi difícil e eu digo que foi fácil. Minha mulher só pegou o maço e o isqueiro e jogou fora. Nunca mais fumei. Hoje em dia não consigo nem sentir o cheiro do cigarro, fico enjoado, não gosto. Durante tanto tempo fiz essa besteira!

Terra - Por que a escolha dos dreads?
Belo - Já tinha feito quase tudo! Tive cabelo preto, enroladinho. Pintava de preto ou loiro. Na época que eu pintei de loiro, todo mundo dizia: "esse cara é maluco, pintar o cabelo de loiro com bigode preto". Mas eu não ligava. Fazia isso porque queria ser diferente. Queria fazer história. Agora, queria mudar minha concepção. Pensei: "o que vou fazer? Deixar preto? Pintei durante quinze anos. Não posso deixar loiro mais". Comecei a ver, pesquisar e lembrei do Lenny Kravitz. Fui ver e a época em que ele fez mais sucesso foi quando ele usava dread. Procurei outros modelos e pensei: "é isso!'.  A escolha foi maravilhosa! Consigo fazer uma coisa muito legal, que é apresentar três, quatro penteados em um show só. Entro de uma maneira, saio, troco, parece que show está sempre começando.

Terra - O público aprovou?
Belo - A princípio as pessoas que convivem comigo estavam receosas. Mas quando viram mudaram de opinião. Demorou sete horas para fazer. Foi trabalhoso. Mas todo mundo falou: nossa! Ficou muito bom! Você rejuvenesceu, para dez, quinze anos mais jovem. Que bom que eu fiz, porque meu público também adorou.

O cantor contou que se inspirou em Lenny Kravitz para mudar o visual
O cantor contou que se inspirou em Lenny Kravitz para mudar o visual
Foto: Facebook / Reprodução
Terra – E a Gracyanne (Barbosa, mulher de Belo)?
Belo - Ela é apaixonada! A mãe dela é que acordava ela de madrugada pedindo para não me deixar fazer isso. Mas aí apareci com os dreads e até ela gostou. Meus fãs também. Ficou bem legal, fez um conjunto ótimo!

Terra - Você sempre teve um trabalho voltado para o pagode romântico, desde a época do Soweto. Apesar disso, nesse álbum, como nas faixas Provocação e Onde Bate Fica, tem um balanço e letras diferentes. Uma coisa mais Thiaguinho, mais dançante e nada romântica. Você está tentando se atualizar?
Belo - Isso mesmo! Quero esse público jovem, que curte muito essa linguagem mais moderna mesmo. Peguei esses compositores que fazem música de atualidade, já são meus amigos de muito tempo e eu nunca tinha gravado nada. Pensei: "vou gravar sim. Essa coisa mais dançante. Porque hoje eu tenho um corpo de baile e coreografia. Então, tem tudo a ver. Essas bailarinas são o ponto alto do show. Tem interatividade com o meu público, sempre levo uma menina para o palco. Gosto muito de gravar balanço.

Terra - Não acha arriscado, por seu público já te conhecer por esse lado romântico?
Belo - Já tinha gravado algumas músicas parecidas, mas minha cara é o pagode romântico. Não saio da minha praia jamais. Só dou uma fugida! (risos)

Terra - O CD não tem músicas escritas por você. Você compõe?
Belo - Componho muito.  Para esse disco, foram mais de 30 músicas. Oito músicas minhas foram escolhidas. Mas acabei tirando todas. Todo mundo falou que eu era maluco. Mas optei por isso para deixar para um próximo trabalho. Já que era tudo novo, queria compositores novos, músicas novas.

Terra - Você é religioso? Você tem uma parceria com o padre Marcelo, nos CDs dele, e também aparece rezando na contracapa de Tudo Novo...
Belo - Sou muito religioso. A contracapa é uma referência a Deus. Sou eu agradecendo por tudo o que tem acontecido na minha vida. Por ser quem eu sou, ser bem sucedido na minha carreira, sou o quarto artista mais tocado no Brasil. E minha vida pessoal. Comemorei um ano de casamento. Isso me bota muito para cima, porque Gracyanne é uma grande amiga, parceira, participa de tudo o que eu faço. E o Padre Marcelo é um grande amigo. Sou muito católico. Participei do primeiro DVD do padre e foi um sucesso. A música que eu cantei era a mais pedida, vendeu mais de quatro milhões de cópias. Também participei de Ágape, com Força e Vitória, foram cinco milhões de cópias. Ele também participa do meu DVD. Foi um presente maravilho a amizade dele. O padre foi um presente. Uma dádiva mesmo.

Belo e Padre Marcelo Rossi são amigos
Belo e Padre Marcelo Rossi são amigos
Foto: Divulgação

Terra - Você se casou há um ano. Como está a vida de casado?
Belo - Nossa! Está maravilhoso. Por mim, eu casava todo dia de novo (risos). Ela é maravilhosa, eu sou apaixonado por ela. Ela é linda e gostosa, isso já é público e notório. Mas quem vive o dia a dia com ela sabe a pessoa incrível que ela é, o coração bom que ela tem. Gracyanne é compreensiva em tudo, sabe dividir. É brava e dura quando tem que ser, mas é sempre pelo que é certo. Tudo isso, essa minha nova fase, até de corpo e saúde, é por ela. Tudo graças a ela.

Terra - Planejam ter filhos?
Belo - Eu quero, sim! Já tenho quatro filhos e uma neta! Quero muito um filho com ela! Vou te dizer que tenho treinado bastante, mas a hora é Deus que decide. Ela queria engravidar esse ano para nascer no ano que vem.

Terra - Como encara as críticas ao corpo de Gracyanne? Te incomoda? Ela fica incomodada?
Belo - Não incomoda e nem ela liga para essas coisas. Porque hoje tem uma moda muito grande de ser fitness e não sei o quê.  A Gracyanne faz isso há 16 anos. Quem conhece sabe que ela não está fazendo isso porque é modinha. Ela faz porque é qualidade de vida, porque se sente bem assim, sarada. Agora, inclusive, ela entrou no ramo que ela queria trabalhar, que é o fitness. Lançou a marca de roupas dela. Ela está muito feliz desse jeito.  Sempre teve essa dieta, vem elaborando jeito de viver dessa maneira. É a vida que ela gosta de viver. Ela não pega nem gripe. É muito saudável. Eu é que não me ligo muito nisso, mas a minha vida é outra!

Terra - Em 15 anos de carreira, se arrepende de alguma coisa?
Belo - De nada. A vida é feita de oportunidades e o futuro a Deus pertence. A gente pode imaginar um projeto ótimo, mas só quem sabe é Deus. Não me arrependo de nada! Vivo o dia de hoje. Quero divulgar meu disco, trabalhar e fazer show!

Terra - Por que proibiu Viviane Araújo (ex-mulher, com quem ficou por quase dez anos) de citar seu nome quando ela participou de A Fazenda 5, na TV Record?
Belo - Isso é especulação. Não proibi nada. Uso bastante as redes sociais e, quando as pessoas começaram a falar, eu tenho mais de um milhão de seguidores, fui ali e respondi. Ninguém chuta cachorro morto, né?!  Se eu não fosse famoso, não estivesse fazendo sucesso, ninguém estaria falando de mim. Eu não proibi nada. Tudo especulação.

O cantor Belo lançou o CD 'Tudo Novo'
O cantor Belo lançou o CD 'Tudo Novo'
Foto: Facebook / Reprodução

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade